Problemas mentais

Como ansiedade, depressão e burnout impactam empresas

A mudança no perfil dos problemas de saúde dos trabalhadores é notável

Esse cenário impõe desafios às empresas, exigindo uma atenção redobrada aos fatores que influenciam a saúde mentalEsse cenário impõe desafios às empresas, exigindo uma atenção redobrada aos fatores que influenciam a saúde mental - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A sociedade contemporânea, marcada por um ritmo acelerado e mudanças profundas nas percepções de objetivos e propósitos, tem presenciado um aumento de problemas mentais no ambiente corporativo, como ansiedade, depressão e burnout.

Esse cenário impõe desafios às empresas, exigindo uma atenção redobrada aos fatores que influenciam a saúde mental dos colaboradores.

“Nos últimos anos, a revolução tecnológica e a crescente digitalização foram intensificadas pela pandemia, além disso se tem o aumento da pressão e das metas dentro das empresas, com isso as frustrações são mais evidentes”, explica Vicente Beraldi Freitas, médico especializado em psiquiatria da Moema Medicina do Trabalho.

Ele complementa: 'Vivemos em uma realidade onde as pessoas enfrentam dificuldades, como conviver com padrões irreais nas redes sociais e altos anseios, tornando-as mais sensíveis a gatilhos para problemas psiquiátricos '

A mudança no perfil dos problemas de saúde dos trabalhadores é notável. Tatiana Gonçalves, sócia da Moema Medicina do Trabalho, observa que há 20 anos, os afastamentos eram majoritariamente por acidentes de trabalho e problemas ortopédicos. 'Hoje, vemos um crescimento exponencial de pacientes com problemas psiquiátricos', avalia.

Principais doenças e suas causas
Os transtornos de ansiedade, a depressão e a síndrome de burnout são doenças psiquiátricas marcadas por uma preocupação constante e excessiva com a possibilidade de eventos negativos


Contudo, existem diferenças entre elas:

- Burnout: Uma condição caracterizada por exaustão extrema e sentimentos de frustração relacionados ao trabalho. Beraldi enfatiza a necessidade de diagnósticos precisos e acompanhamento por profissionais especializados. A atualização do Ministério da Saúde, que incluiu o burnout na lista de doenças relacionadas ao trabalho, reforça a importância do reconhecimento dos fatores psicossociais no ambiente corporativo.

- Crise de ansiedade: Caracterizada por uma preocupação constante e excessiva, pode levar a sintomas físicos como falta de ar, sudorese e arritmia. 'A ansiedade é uma patologia desencadeada por fatores internos ou externos, exacerbada pela pandemia e a crescente digitalização,' explica Vicente Beraldi.

- Depressão: Uma doença crônica e recorrente que causa tristeza profunda e desesperança, afetando a capacidade funcional do indivíduo. É essencial procurar ajuda médica e diferenciar a tristeza patológica daquela transitória, provocada por eventos difíceis da vida.

Dentre as causas desses males estão vários fatores como estresse no trabalho e conflitos relacionados a competências, autonomia, relações com clientes, realização pessoal e falta de apoio social. Além de fatores organizacionais, causados por sobrecarga de trabalho, desalinhamento entre objetivos da empresa e valores pessoais, e isolamento social. Além disso, existem fatores pessoais, com relações familiares e amizades.

Rose Damélio, gerente de Recursos Humanos da Confirp Contabilidade, relata: 'As áreas de recursos humanos devem estar cada vez mais próximas dos colaboradores, acompanhando desde a contratação e iniciando ações aprofundadas quando necessário.'


Vicente Beraldi Freitas sugere medidas para combater esses problemas:


Melhorando o ambiente nas empresas
André Costa, diretor Administrativo e de Gente & Gestão da Febrafar e da Farmarcas, corrobora com essas ideias. Mas ele acrescenta que as iniciativas devem ir muito além de ações pontuais, deve ser repensada toda a estrutura da empresa. Ele destaca alguns pontos:

De acordo com André Costa, todos esses fatores são interligados e contribuem para a construção de uma equipe equilibrada e de alto desempenho. 'Ao garantir um ambiente de trabalho saudável, onde os colaboradores se sintam valorizados e motivados, colhemos resultados positivos. O investimento em cuidado com as pessoas é tangível e imensurável,' ressalta Costa.

Empresas que investem na saúde mental de seus colaboradores criam um ciclo positivo de valorização e produtividade. A coerência entre discurso e prática dos valores corporativos, aliada a ações estruturadas e contínuas, é fundamental para um ambiente de trabalho saudável.

Assim, antes que esses males acometam os colaboradores, as empresas têm um papel crucial na revisão das condições de trabalho e na busca por qualidade de vida, garantindo que isso não impacte negativamente os resultados dos negócios.

Veja também

Maior apreensão de cigarros contrabandeados do País é feita pela Polícia em SP
Contrabando

Maior apreensão de cigarros contrabandeados do País é feita pela Polícia em SP

Polônia aumentará gastos com Defesa para 5% do PIB, diz ministro
Economia

Polônia aumentará gastos com Defesa para 5% do PIB, diz ministro

Newsletter