A-A+

Pernambuco

Complexo de Suape filia-se a rede global de desenvolvimento sustentável

O Complexo de Suape é considerado a âncora e a locomotiva do desenvolvimento do Estado

Porto de SuapePorto de Suape - Foto: Suape / Divulgação

O Complexo Industrial Portuário de Suape, localizado entre os municípios de Ipojuca e Cabo de Santos Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, se filiou ao Iclei, uma rede global de governos e cidades em comprometimento com o desenvolvimento sustentável.

Em Pernambuco, além do Governo do Estado, as prefeituras do Recife, Caruaru, Serra Talhada e Brejo da Madre de Deus fazem parte do Iclei. Com a iniciativa, o complexo irá adotar diversas iniciativas para promoção da sustentabilidade no território.

A organização global conta com 2.500 gestões públicas locais e regionais comprometidas com o progresso e respeito ao meio ambiente. 

“Suape já possui uma política de gerar riquezas dentro de um pensamento sustentável ativo e unificar esses conceitos é urgente. A partir de agora, Suape passa a se comprometer mundialmente com essa missão”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco e presidente do Iclei para a América Latina, Geraldo Julio.

O Complexo de Suape é considerado a âncora e a locomotiva do desenvolvimento do Estado. Atualmente, o complexo conta com 150 empresas, entre instaladas e em implantação.

Para o diretor-presidente do Porto de Suape, Roberto Gusmão, a filiação ao Iclei vem para reforçar o compromisso da estatal com desenvolvimento industrial aliado aos pactos mundiais de sustentabilidade.

“Temos também como missão promover a conservação do patrimônio natural. No complexo, 59% do território de 13,5 mil hectares estão inseridos na Zona de Preservação Ecológica (ZPEC), pontua Roberto Gusmão. 

Veja também

Corte alemã pode ter decisão sobre Brumadinho em quatro meses
Brumadinho

Corte alemã pode ter decisão sobre Brumadinho em quatro meses

Governo estuda facilitar importação de produtos da cesta básica para reduzir preços
Cesta Básica

Governo estuda facilitar importação de produtos da cesta básica para reduzir preços