Conheça Linda DeMorrir, a travesti recifense que chamou atenção na Semana de Moda de Paris

A modelo ainda está na França, onde também se apresenta como DJ em algumas festas

Linda no desfile da Balenciaga na Semana de Moda de ParisLinda no desfile da Balenciaga na Semana de Moda de Paris - Foto: Divulgação

Aos 27 anos e quase formada em Design pela Universidade Federal de Pernambuco, a travesti recifense Linda DeMorrir atraiu olhares na passarela da Semana de Moda de Paris, que rolou até 3 de outubro. A pernambucana foi a convite da hypadíssima Balenciaga, grife que faz o maior sucesso entre as fashionistas de todo o mundo.

Linda estava no Recife, na reta final do curso, quando recebeu a proposta. Como já havia morado em Paris, em 2014, através do programa Ciência Sem Fronteiras, aproveitou para rever os muitos amigos que fez à época. Em 2015, aliás, desfilou pela badalada Vetements. Chegando lá, o processo até o catwalk durou uma semana. Ela passou na segunda etapa, em que rolou a prova de roupas. O ensaio ocorreu em um estúdio de cinema repleto de telas, do chão ao teto. "O cenário era muito louco. A gente estava andando de salto e o chão parecia que se movia, foi uma loucura, mas todo mundo conseguiu entender", comenta.

Cliques de Linda DeMorrir durante a Semana de Moda de Paris

Cliques de Linda DeMorrir durante a Semana de Moda de Paris - Crédito: Divulgação

Sobre a vivência enquanto travesti, Linda é realista e consegue entender os privilégios que tem mesmo dentro da exclusão. "É bem gratificante por um lado de sobrevida que eu levo enquanto travesti no Brasil, a dificuldade de ganhar dinheiro, trabalhar. Eu me sinto feliz por ter a chance de estar aqui. Por outro lado, eu percebo que, entre as travestis, eu só tive esta oportunidade porque sou branca, tenho cabelo liso. Neste mundo [da moda], eu percebo que, querendo ou não, eu cheguei por ter privilégios", explica.

No Recife, ela trabalha como vendedora ambulante e faz alguns bicos que aparecem vez ou outra em paralelo à faculdade. "É uma vida simples, bem diferente do que eu tive oportunidade de ter aqui. É completamente fora da minha realidade. Ganhar em um trabalho o que eu ganharia em um ano", compara. Linda vai passar o mês de outubro todo na capital francesa, onde também faz apresentações como DJ nas festas La Trou Aux Biches, La Multinerie e Shemale Trouble, todas voltadas e feitas por LGBTs.

 

Linda conta que, em Paris, sente o mesmo medo de transfobia que tem no Brasil

Linda conta que, em Paris, sente o mesmo medo de transfobia que tem no Brasil - Crédito: Divulgação

Apesar de Paris aparentar ser mais aberta às diferenças, na prática, não é bem assim que tem funcionado para a travesti: "Quando eu morei aqui, fui agredida várias vezes. Sinto o mesmo medo que eu sinto no Brasil. Os olhares e assédios são iguais", justifica. Quando voltar ao Recife, a quem interessar possa, as agendas de modelo e DJ estão abertíssimas.

A pernambucana passa o mês em Paris e vai tocar em festinhas na cidade

A pernambucana passa o mês em Paris e vai tocar em festinhas na cidade - Crédito: Reprodução Facebook 

Veja também

Secretário de Saúde de Pernambuco critica entraves diplomáticos que afetam vacinação no Brasil
Covid-19

Longo critica entraves diplomáticos à vacina: "Não podem colocar em xeque a saúde dos brasileiros"

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões
Economia

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões