GRANDE RECIFE

Conselho Metropolitano discute, nesta sexta-feira (11), reajuste na tarifa de ônibus

Preço do Anel A pode chegar a R$ 4,60. Sindicato das empresas quer aumento de 23% enquanto Governo do Estado defende incremento de 9,69%.

Transporte públicoTransporte público - Foto: Lidiane Mota/Folha de Pernambuco

Esta sexta-feira (11) é um dia decisivo para os milhares de pernambucanos que, diariamente, giram a catraca do “busão” para poderem se deslocar pela Região Metropolitana do Recife (RMR).

Como ocorre em todo início de ano, o Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), composto por órgãos públicos, incluindo Estado e prefeituras, e representantes das empresas de ônibus e da sociedade civil, vai bater o martelo sobre as propostas de reajuste no preço das passagens. A reunião começa às 9h, em formato virtual.

Propostas em debate
Na ocasião, serão discutidas e submetidas à votação as propostas de recomposição tarifária que forem apresentadas.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Urbana-PE) defende um aumento de 22,67%, o que faria a tarifa do Anel A subir dos atuais R$ 3,75 para R$ 4,60; a do Anel B, de R$ 5,10 para R$ 6,25; e a do Anel G, de R$ 2,45 para R$ 3. Em nota divulgada no mês passado, a entidade justificou que esses seriam os valores necessários em virtude da inflação alta no setor, “puxada pela variação dos preços do combustível”.

Já o Grande Recife Consórcio de Transporte, vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), diz que, a partir da análise de estudos técnicos, concluiu que o reajuste apenas com base na inflação teria de ser um pouco menor, 19,28%.

Entretanto, o órgão propõe um incremento de 9,69%, percentual que corresponde ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado de dezembro de 2020 a novembro de 2021. Dessa forma, os valores passariam a R$ 4,1080 (Anel A) e R$ 5,6159 (Anel B), que, caso aprovados, podem ser arredondados para um centavo a mais ou a menos. O “horário social”, com desconto de R$ 1 fora das horas de pico, seria mantido.

Evolução dos reajustes na tarifa de ônibus

Cinco reajustes em sete anos
Se confirmado, este será o quinto aumento em sete anos (veja no infográfico acima). A última vez em que houve redução no preço da passagem ocorreu em 2013, quando, em meio aos protestos das “Jornadas de Junho”, o então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, anunciou que baixaria o valor em R$ 0,10, chegando a R$ 2,15 no Anel A.

Dois anos depois, a tarifa A aumentou em 10% e, a partir daí, todos os reajustes aplicados foram para cima. Em 2018 e 2020, o Governo do Estado rejeitou as propostas de aumento, e os valores foram congelados.

Movimentos sociais contrários ao possível novo reajuste prometem pressionar o CSTM a não aprovar a medida. O Comitê Unificado de Luta pelo Transporte Público, que reúne mais de 20 organizações, informou que vai organizar um ato a partir das 7h, no Cais de Santa Rita, Centro do Recife. O grupo pede ainda o fim da dupla função de motorista e cobrador e a implantação do Passe Livre para toda a população.

Veja também

Alagoano de 36 anos é preso em Xexéu, na Mata Sul, suspeito de estuprar duas crianças
Mata Sul

Alagoano de 36 anos é preso em Xexéu, na Mata Sul, suspeito de estuprar duas crianças

Polícia Militar dobra efetivo para ciclopatrulhas na orla da Zona Sul do Recife
SEGURANÇA

Polícia Militar dobra efetivo para ciclopatrulhas na orla da Zona Sul do Recife