MOBILIDADE

Conselho se reúne para discutir reajuste zero e bilhete único das passagens de ônibus

Encontro virtual começou às 8h

ÔnibusÔnibus - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Desde às 8h desta quinta-feira (22), os membros do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) estão reunidos para discutir sobre a proposta do Governo do Estado de reajuste zero e de bilhete único de R$ 4,10 para as passagens de ônibus, unificando os valores dos anéis A e B, que custam atualmente, R$ 4,10 e R$ 5,60, respectivamente.

Carlos Alberto Avelino Resende, Diretor de Planejamento do Consórcio de Transporte MetropolitanoJonathan Valença, do setor de planejamento do CTM, durante a reunião | Foto: Cortesia

O encontro acontece de forma virtual, fechado à imprensa. Cerca de 25 conselheiros participam da reunião para discutir a proposta anunciada pela governadora de Pernambuco, Raquel Lyra (PSDB), nas redes sociais, na última terça-feira (20). Esse tipo de bilhetagem já existe em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Campinas e Fortaleza.

Protesto desmobilizado
Uma manifestação pacífica organizada por membros do Comitê de Luta pelo Transporte foi desmobilizado. Ela estava programada para acontecer ainda na manhã desta quinta, em frente à Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi), com sede no bairro de Santo Amaro, centro do Recife.

Segundo Maria Peixoto, integrante da organização, o que desmotivou os manifestantes foi o anúncio de Raquel Lyra em sugerir o bilhete único.

"A sociedade civil foi desmobilizada pelo anúncio. A gente sabe que a possibilidade de aumento é que faz as pessoas irem às ruas protestar", disse ela.

Membro do conselho está confiante
A reportagem da Folha de Pernambuco conversou com um dos membros do conselho que está reunido. Segundo ele, a reunião tem previsão para se encerrar por volta do meio-dia e os integrantes estão confiantes na aprovação do Bilhete Único de R$ 4,10.

Veja também

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono
Política

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava
Bonobos

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava

Newsletter