Energia

Consumo de energias fósseis é de 80% do total, igual a dez anos atrás

Carvão, petróleo, gás são as principais fontes do aquecimento global

Plataforma de petróleo da PetrobrasPlataforma de petróleo da Petrobras - Foto: Agência Petrobras

Do total de consumo mundial de energia em 2019, 80% pertenceu a energias fósseis, a mesma porcentagem de dez anos atrás, período em que as renováveis só prosperaram ligeiramente, alertou a rede REN21 em um relatório publicado nesta terça-feira (15).

Os combustíveis fósseis (carvão, petróleo, gás), fonte principal do aquecimento global, representavam ainda 80,2% do consumo de energia no final de 2019, apenas um décimo abaixo da porcentagem de 2009, aponta esta rede de especialistas dedicada às energias renováveis.

 

No mesmo período, a porção de energias renováveis cresceu cerca de 5% ao ano mas, devido ao aumento da demanda energética mundial, passou apenas de 8,7% para 11,2% do consumo global, diz este relatório mundial.

"Estamos longe da mudança de paradigma necessária para um futuro energético limpo, mais saudável e mais equitativo", continua o texto.

"Com subsídios aos combustíveis fósseis de 550 bilhões de dólares em 2019 -- quase o dobro do investido em renováveis --, as promessas de ação climática dos últimos dez anos são palavras ao vento", estimou a diretora do REN21, Rana Abid.

"O ano 2020 poderia ter mudado a tônica", mas os planos de impulso pós-covid abrangem seis vezes mais investimentos para as energias fósseis do que para as renováveis, denuncia essa rede.

Por outro lado, a rede elogia "os progressos consideráveis" realizados no setor da eletricidade, no qual quase todas as novas instalações são renováveis e que acrescentou mais de 256 gigawatts (GW) em 2020, superando em mais de 30% o recorde anual anterior.

Em um número crescente de regiões, como partes da China, a União Europeia, Índia e Estados Unidos, agora é mais barato construir parques eólicos ou fotovoltaicos do que explorar usinas de carvão existentes, diz a REN21.

"Os governos não devem se contentar com apoiar as energias renováveis, também devem fechar as usinas de combustíveis fósseis", insistiu Rana Abid.

Veja também

Quatro milhões de afetados por inundações em Bangladesh
ONU

Quatro milhões de afetados por inundações em Bangladesh

Varíola dos macacos: OMS diz que não há evidência de mutação do vírus
Saúde

Varíola dos macacos: OMS diz que não há evidência de mutação do vírus