Contágio de coronavírus continua acelerado no Brasil, indicam estatísticas

Com exceção dos Estados Unidos (que foi objeto de um estudo separado), o Brasil tem o maior número de mortes previstas para esta semana: 9.010

Paciente sendo testado para coronavírusPaciente sendo testado para coronavírus - Foto: RIJASOLO / AFP

O contágio de coronavírus no Brasil continua acelerado, indicam cálculos feitos pelo Imperial College nos 56 países do mundo que têm transmissão ativa. A taxa de contágio (Rt), indicador que mostra para quantas pessoas em média cada indivíduo infectado transmite o coronavírus, foi estimada em 1,31 para a semana que começou nesta segunda (25) -ou seja, cada 100 contaminados passam o patógeno para outros 131, que por sua vez infectam 171, fazendo com que a doença se amplie mais rapidamente.

Uma taxa de contágio acima de 1 significa que a transmissão está fora de controle. Dos 7 países latino-americanos avaliados pelo Imperial College, 6 têm Rt acima de 1: além do Brasil, Bolívia, Chile, México, Colômbia e Argentina. O Peru teve o indicador calculado em 0,7.

A universidade britânica, referência no acompanhamento de pandemias, vem acompanhando países que tenham registrado no mínimo cem mortes por coronavírus desde o começo da pandemia e ao menos dez mortes em cada uma das duas semanas mais recentes.

Leia também:
Maioria dos profissionais de saúde sente medo do coronavírus, aponta pesquisa
Medo de contágio cria obsessão por limpeza e busca de sintomas do coronavírus


No total, eles são 56, dos quais 27 estão na Europa. Entre os europeus, a estimativa é que a taxa de contágio esteja acima de 1 em seis: Rússia, República Tcheca, Portugal, Áustria, Belarus e Grécia, em ordem descrescente. Desses, só a Rússia tem previsão de mais de mil mortes semanais.

Com exceção dos Estados Unidos (que foi objeto de um estudo separado), o Brasil tem o maior número de mortes previstas para esta semana: 9.010, um aumento de quase 30% em relação à semana anterior, seguido pelo México, com 2.840.

Até a manhã desta terça, havia mais de 374 mil casos de coronavírus registrados no Brasil, com mortes acima de 23 mil e taxa de mortalidade de 10,5 por 100 mil habitantes, a 13ª maior entre os principais países do mundo.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a principal estratégia para reduzir a transmissão do coronavírus é ser capaz de testar todos os casos suspeitos, rastrear e isolar os contatos por ao menos 14 dias (para verificar se foram contaminados) e tratar os doentes.

Essa estrutura, aliada a medidas de distanciamento físico e higiene, permite restringir a mobilidade apenas de pessoas vulneráveis ou sob suspeita de ter o coronavírus, prejudicando menos a economia.

Segundo a OMS, até que o país adquira a capacidade de testar, rastrear e isolar, confinamentos podem ser a única opção para reduzir a velocidade de contágio antes que ele leve ao colapso o sistema de saúde.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Miss Roraima Teen morre aos 21 anos em cirurgia de emergência
Fatalidade

Miss Roraima Teen morre aos 21 anos em cirurgia de emergência

Brasil confirma 559.607 mortes por Covid-19
Boletim nacional

Brasil confirma 559.607 mortes por Covid-19