Coronavírus que circula na Itália é diferente do da China, segundo hospital

Descoberta vai permitir decifrar o código genético desse tipo específico de vírus e estabelecer o tempo e a amplitude de sua transmissão

Cuidados contra o coronavírus na ItáliaCuidados contra o coronavírus na Itália - Foto: Andreas Solaro/AFP

Pesquisadores do hospital Sacco, de Milão, anunciaram que isolaram a cepa do coronavírus Sars-CoV-2 que circula no norte da Itália e afirmaram que ela é diferente da chinesa, segundo o jornal italiano Corriere della Sera. O diretor do Instituto de Ciências Biomédicas, Massimo Galli, afirmou que foram isolados vírus autóctones (cuja transmissão é feita dentro de uma comunidade, e não vinda de outro lugar) de quatro pacientes.

A descoberta vai permitir decifrar o código genético desse tipo específico de vírus e estabelecer o tempo e a amplitude de sua transmissão, passos necessários para desenvolver uma vacina, segundo o pesquisador.

Leia também:
Pernambuco descarta três casos suspeitos de coronavírus; outros três seguem em investigação
Até 70% da população global pode contrair coronavírus, diz Harvard


Em Bruxelas, a ECDC (agência europeia de controle de doenças) afirmou nessa quinta-feira (27) que dados sobre origem e transmissão do coronavírus são fundamentais para analisar os riscos de infecção e tomar decisões de política pública, como restringir a mobilidade ou fechar escolas e cancelar eventos.

A agência, porém, não comentou na noite de quinta (27) se o isolamento da cepa italiana pode alterar os atuais modelos usados nessas previsões. O isolamento do Sars-CoV-2 italiano é importante porque permite verificar se há mutação. Segundo os pesquisadores, isso pode acontecer inclusive no sentido de reduzir a agressividade do coronavírus.

Caso se verifiquem mutações, isso pode significar também que o vírus está se adaptando à espécie humana e se tornando endêmico, segundo os pesquisadores. Em Roma, o ministro italiano de Relações Exteriores, Luigi Di Maio, disse que o que existe hoje no mundo é uma "infodemia" que está prejudicando a imagem, a economia e a comunidade científica do país.

Com dez cidades na Lombardia e uma no Veneto isoladas desde domingo, a Itália tenta impedir que o pânico prejudique o atendimento em outras regiões e abata ainda mais a economia. Segundo o governo italiano, 37 dos 528 pacientes infectados pelo coronavírus já se recuperaram da doença. "Sem querer minimizar a situação, são apenas 11 cidades envolvidas de um total de 7.904, e todos os casos fora dessa região tiveram origem ali", afirmou Di Maio.

Veja também

Municípios de Pernambuco devem ter acesso às doses da CoronaVac nesta terça (19)
Covid-19

Municípios de Pernambuco devem ter acesso às doses da CoronaVac nesta terça (19)

Avião pequeno faz pouso de emergência em Tamandaré
Litoral Sul

Avião pequeno faz pouso de emergência em Tamandaré