A-A+

Afogamento

Corpo de turista pernambucano que se afogou na praia do Francês, em Alagoas, é encontrado

Segundo Corpo de Bombeiros, corpo do jovem foi achado na faixa de areia da praia, um dos principais destinos turísticos de Alagoas

Aeronaves dos Bombeiros foram usadas nas buscasAeronaves dos Bombeiros foram usadas nas buscas - Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros de Alagoas

O corpo do turista pernambucano Carlos Henrique Araújo da Silva, de 22 anos, foi encontrado, na madrugada desta terça-feira (28). Ele havia se afogado no último domingo (26), na praia do Francês, em Marechal Deodoro, Litoral Sul de Alagoas, distante cerca de 15 quilômetros da capital Maceió.

A informação foi confirmada à Folha de Pernambuco pelo Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBMAL). Segundo a corporação, o corpo do jovem foi achado na faixa de areia da praia, um dos principais destinos turísticos de Alagoas, por volta das 2h.

Carlos Henrique e outros dois jovens, de 17 e 22 anos, se afogaram na praia do Francês, no domingo. Esses dois foram resgatados com vida e Carlos seguia sendo procurado, inclusive com auxílio de aeronaves do Corpo de Bombeiros. 

Com a maré baixa entre o final da noite de segunda-feira (27) e a madrugada de terça-feira, os bombeiros retomaram as buscas, encerradas mais cedo por causa da falta de luminosidade natural.

Na praia, o corpo do jovem pernambucano foi achado numa região próximo a coqueirais. Segundo o CBMAL, com a maré baixa, há a tendência de que o próprio mar expulse o corpo.

O corpo de Carlos Henrique foi recolhido pelo Instituto de Medicina Legal (IML) de Maceió, de onde aguarda liberação para ser transferido para Pernambuco - ele morava com a família em Toritama, no Agreste do Estado. O Instituto de Criminalística (IC) também foi acionado. 

Veja também

DNA confirma que homem é bisneto de Touro Sentado
Engenharia genética

DNA confirma que homem é bisneto de Touro Sentado

Uso de fluvoxamina reduz hospitalizações por Covid, aponta estudo
Coronavírus

Uso de fluvoxamina reduz hospitalizações por Covid, aponta estudo