Coronavírus

Covid-19 já matou mais de seis milhões de pessoas no mundo

No total, 6.001.585 pessoas morreram de Covid-19 no mundo

Mulher usa máscara em Hong KongMulher usa máscara em Hong Kong - Foto: Peter Parks/AFP

Mais de seis milhões de mortes relacionadas à Covid-19 foram oficialmente registradas no mundo desde o início da pandemia, em 2020, segundo uma contagem da AFP feita nesta terça-feira (8) a partir de balanços oficiais.

No total, 6.001.585 pessoas morreram de Covid-19 no mundo, mas o número de vítimas fatais nunca diminuiu tão rapidamente em uma semana desde a primavera de 2020. 

Nos últimos sete dias, foram registrados uma média de 7.170 óbitos por dia, enquanto na semana anterior havia sido registrada uma média de 8.706 óbitos por dia, o que implica um decréscimo de 18%

Após o pico da onda ligada à variante ômicron - muito mais contagiosa -, atingido entre 4 e 10 de fevereiro deste ano (11.142 mortes diárias), esse número está em declínio contínuo desde meados de fevereiro. 

A África é o continente em que foi detectada a maior queda no número de mortes nos últimos sete dias (-44% em relação à semana anterior). Nos últimos sete dias, foram registrados 817 óbitos, contra 1.452. 

A tendência dos balanços dos três países mais afetados pela pandemia também registrou quedas: Estados Unidos (9.889 mortes nos últimos sete dias, -31%), Brasil (3.008, -36%) e Índia (1.259, -27 %).

Na Europa, a região com mais mortes desde o início da pandemia de coronavírus, o número de óbitos ligados à doença caiu 14% esta semana (19.050 contra 22.051 nos sete dias anteriores), enquanto muitos países europeus estão encerrando ou relaxando as restrições sanitárias.

A tendência de queda é observada sobretudo na Turquia (1.236 mortes nos últimos sete dias, -28%), Itália (1.250, -21%), França (1.084, -21%) e Polônia (1.234, -17%). 

Em contraste, no Sudeste Asiático, foi observada uma recuperação nas infecções e mortes. Hong Kong registrou 290.987 casos esta semana (o dobro da semana anterior) e 1.543 mortes (mais que o triplo). 

Este balanço, que tem em conta os óbitos registados pelas autoridades nacionais de saúde, representa apenas uma parte das mortes reais ligadas à Covid-19. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, se for considerado o excesso de mortalidade direta e indiretamente relacionado à covid-19, o balanço da pandemia pode ser duas a três vezes superior ao registrado oficialmente.

Veja também

Há "boas razões para acreditar" que houve estupros em ataques do Hamas, diz ONU
MUNDO

Há "boas razões para acreditar" que houve estupros em ataques do Hamas, diz ONU

Onda de violência e fuga de prisioneiros mostram domínio das gangues na capital do Haiti
MUNDO

Onda de violência e fuga de prisioneiros mostram domínio das gangues na capital do Haiti