Atendimento

Covid-19: pessoas com sintomas devem procurar atendimento imediato

Ministério da Saúde reforçou orientação nesta quinta-feira

Testes de temperatura em Lago Grande, no AmazonasTestes de temperatura em Lago Grande, no Amazonas - Foto: Sesai / AFP

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, reafirmou hoje (9), durante a apresentação de dados sobre a distribuição de equipamentos de proteção individual (EPIs) e insumos para o combate ao novo coronavírus, que pessoas que apresentarem sintomas - mesmo que leves - de infecção por covid-19 devem procurar atendimento médico o mais rápido possível. 

De acordo com o secretário, a orientação é uma ajuste na campanha feita pelo Ministério da Saúde, que recomendava que pacientes leves “ficassem em casa”. “Percebemos que, ao aguardar em casa, muitos chegam ao hospital em situação mais agravada, e evoluem para quadros graves - com necessidade de UTI [unidade de tratamento intensivo] - muito rapidamente. Esta nova diretriz procura evitar mortes relacionadas à doença”, afirmou.

Franco argumentou que há evidências sobre os efeitos positivos da administração de oxigênio durante as fases iniciais da infecção. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) está preparado para receber todos os pacientes com sintomas leves, e deve reforçar ainda mais o serviço de atenção primária nas próximas semanas.

O secretário salientou, ainda, que a busca imediata por atendimento médico deve reduzir a taxa de ocupação das UTIs em todo o Brasil. “Nós temos a convicção de que o tratamento precoce vai evitar a sobrecarga das estruturas dos hospitais, tanto privados quanto do SUS, e dessa forma vamos prestar o melhor atendimento à população. Vamos salvar mais vidas”, afirmou o secretário.

Veja também

Pazuello lamenta mortes por covid- 19 e destaca necessidade de acompanhamento médico
Coronavírus

Pazuello lamenta mortes por covid- 19 e destaca necessidade de acompanhamento médico

Mais de 3 milhões de brasileiros infectados pelo novo coronavírus
Coronavírus

Mais de 3 milhões de brasileiros infectados pelo novo coronavírus