Saúde

Covid-19: Pfizer vai testar eficácia de vacina contra nova variante da África do Sul

Expectativa é que resultados saiam em duas semanas, diz porta-voz

Vacina da Pfizer/BioNTechVacina da Pfizer/BioNTech - Foto: Hélia Scheppa/Arquivo/SEI

Um porta-voz da BioNTech, que desenvolveu em parceria com a Pfizer a vacina contra a Covid-19, disse à agência de notícias AFP, nesta sexta-feira (26), que a fabricante está estudando urgentemente a eficácia do imunizante contra a variante B.1.1.529 detectada na África do Sul.

"Esperamos mais dados dos testes de laboratório em no máximo duas semanas. Esses dados fornecerão mais informações sobre se a B.1.1.529 pode ser uma variante que exija um ajuste de nossa vacina se a variante se espalhar globalmente" acrescentou.

A detecção dessa nova variante por cientistas sul-africanos gerou alarme global, com a preocupação de que suas numerosas mutações possam torná-la ainda mais perigosa do que a altamente contagiosa variante Delta.

Após o anúncio, vários países, incluindo Reino Unido, Itália e Alemanha, decidiram fechar as portas aos viajantes de vários estados do sul da África.

De acordo com a BioNTech, a variante B.1.1.529 "difere claramente das variantes já conhecidas porque tem mutações adicionais na proteína do pico".

"A Pfizer e a BioNTech se prepararam há vários meses para ajustar sua vacina em menos de seis semanas e entregar as primeiras doses em 100 dias se uma variante se mostrasse resistente", enfatizou o porta-voz do laboratório.

Veja também

Nova espécie de dinossauro encontrada na Bahia é batizada em homenagem a Tieta
HISTÓRIA

Nova espécie de dinossauro encontrada na Bahia é batizada em homenagem a Tieta

Campanha usa título de eleitor gigante para chamar jovens para votar
VOTO

Campanha usa título de eleitor gigante para chamar jovens para votar

Newsletter