ENEM 2021

Cronograma de estudos é ferramenta indispensável na preparação para o Enem; saiba como montar o seu

Definir os dias e conteúdos, estabelecer metas e cumpri-las proporciona melhora no rendimento do estudante

Cronograma de estudos é aliado indispensável do estudante que se prepara para o EnemCronograma de estudos é aliado indispensável do estudante que se prepara para o Enem - Foto: Cortesia

A quantidade de conteúdos abordada no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma preocupação recorrente para quem vai realizá-lo. Por isso, é fundamental que o estudante organize um horário de estudos a fim de melhorar o seu aproveitamento na prova.

De acordo com o gerente de Inovações para Professores no SAS - Plataforma de Educação, Idelfrânio Moreira, ter um horário de estudos bem definido tem dois aspectos fundamentais, que são: manter a clareza do que se tem para estudar e alocar todos os recursos de atenção para os estudos. "Sem a devida atenção não se consegue produtividade. Sem a clareza das tarefas a cumprir é difícil avaliar em que é necessário melhorar", justifica Idelfrânio.

Ainda segundo Moreira, um cronograma de estudos deixa a decisão de escolher estudar ao invés de realizar outras atividades na mão do estudante, o que o ajuda aprender a estabelecer prioridades e garantir o melhor uso dos recursos mentais, físicos e logísticos.

"Organizar todo o volume de conteúdos a estudar em horários específicos e num cronograma com datas ajuda a estabelecer metas. E é importante manter uma autoavaliação constante, garantindo uma gestão mais eficiente do tempo até o dia da prova", explica o gerente de Inovações.

Benefícios

A estudante Tamiris Martis, 22, já realizou o Enem algumas vezes e soma algumas aprovações no currículo. Com a rotina cheia entre cursinho, faculdade, casa, alimentação, academia e studygram, ela consegue manter o ritmo por causa do cronograma. "Meu cronograma semanal mudou minha vida. Eu costumo brincar dizendo que 'planejar é a parte do estudo que eu mais gosto' isso porque, pra mim, saber exatamente o que eu preciso fazer e quanto tempo eu tenho para cumprir essas tarefas me trazem segurança e tranquilidade de que eu não preciso surtar e assim me sinto bem menos ansionsa com as minhas demandas", afirma.

Tamiris consegue conciliar todas as demandas do dia com o auxílio do seu cronograma, que preza pela flexibilidadeTamiris consegue conciliar todas as demandas do dia com o auxílio do seu cronograma, que preza pela flexibilidade | Foto: Cortesia

Como já conhece a prova, Tamiris consegue ter uma noção melhor de como organizar. Ela entendeu que, para ela, um cronograma funciona quando permite a flexibilidade. "Utilizo um cronograma semanal base, mas não defino o que fazer hora a hora, justamente para deixá-lo mais flexível. Vão haver contratempos, e essa flexibilidade é ideal para não desandar tudo e causar frustração pelo não cumprimento das metas", diz.

Cumprindo o cronograma

Mas não basta montar um horário de estudos incrível e deixá-lo de enfeite. E algumas dicas podem facilitar na hora de cumprir com o planejado, como considerar tempos diferentes para diferentes conteúdos. Alocar tempos mais longos para o que é mais difícil ou para o que se precisa ser melhor resultado, por exemplo.

"O estudante precisa saber também que não é recomendado que os horários sejam 'atravessados', ou seja, se ele terminou o horário destinado à Matemática e não cumpriu o planejado, ele não deve usar o tempo seguinte –  destinado à Biologia, por exemplo – para tentar terminar", frisa Idelfrânio.

Também é importante que o aluno entenda que todo planejamento requer avaliação e, talvez, mudança de planos. "Então, periodicamente - semanalmente, por exemplo -, é interessante reavaliar o cronograma e listar o que atrapalhou o horário de estudos para tentar corrigir e, se for o caso, refazê-lo", finalizou Moreira.

Como organizar o tempo na preparação para o enem

Veja também

Marinha dos EUA intercepta navio procedente do IrãMundo

Marinha dos EUA intercepta navio procedente do Irã

Estudo aponta relação entre consumo de drogas e internações por traumaSaúde

Estudo aponta relação entre consumo de drogas e internações por trauma