A-A+

CTTU destaca a importância das cadeirinhas infantis

Segundo o órgão, o transporte seguro das crianças deve ser prioridade e está acima de qualquer fiscalização

Uso das cadeirinhas infantisUso das cadeirinhas infantis - Foto: Divulgação

Em meio ao polêmico Projeto de Lei sugerido no início do mês pelo Governo Federal para alterar o Código de Trânsito Brasileiro que, entre outros pontos, dizem respeito ao fim da cobrança de multas pelo não uso dos dispositivos de retenção infantis nos carros, chamados de “cadeirinhas” um dado deve ser lembrado: a utilização do equipamento reduz pelo menos 60% das mortes no trânsito, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

As cadeirinhas se tornaram obrigatórias em 2008 por meio da resolução nº 477 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) conhecida como “Lei da Cadeirinha”. A publicação definiu regras para uso de dispositivos como o bebê conforto, a cadeirinha auxiliar e o assento de elevação para o transporte de crianças menores de 10 anos em veículos.

Leia também:
'Todo mundo que é pai e mãe é responsável', diz Bolsonaro sobre cadeirinha do bebê
Para Bolsonaro, 'nem precisava de lei' sobre transporte de criança em cadeirinha

De acordo com a regra vigente no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transportar crianças em veículo automotor sem a devida segurança estabelecida classifica-se como infração gravíssima, com multa de R$ 293,47 e tem como medida administrativa a retenção do veículo até a instalação do equipamento.

Para o coordenador do Programa de Educação para o Trânsito da CTTU, Francisco Irineu, o uso da cadeirinha é fundamental para preservar as vidas das crianças. “Os pais tem como obrigação cuidar da segurança dos filhos e já está mais do que provado que o equipamento é fundamental para salvar vidas. É importante que tenhamos sempre isso em mente, independente da aplicação das multas”, comenta.

O profissional explica, ainda, que a fiscalização, assim como a aplicação de multas, funciona como uma ferramenta educativa para proteger a vida das crianças. "Se os adultos não utilizam os equipamentos de segurança para as crianças, não podemos ficar de braços cruzados e deixar aquela pessoa na vulnerabilidade e em risco de acidentes graves, precisamos de uma medida para exigir o equipamento de segurança e, dessa forma, evitar acidentes para crianças", explica.

Confira as regras para cada idade:
- Bebês de até 1 ano de idade devem ser levadas no banco de trás do carro no bebê conforto, de costas;
- Crianças entre 1 e 4 anos devem ficar na cadeirinha presa com o cinto e no banco traseiro;
- Crianças com idade entre 4 e 7 anos e meio, deve ser utilizado um assento de elevação no banco de trás;
- Crianças com idades entre 7 anos e meio e 10 anos devem utilizar apenas cinto de segurança no banco de trás.

Veja também

Queiroga diz que está com Covid-19 e que fará quarentena nos EUA
Ministro da Saúde

Queiroga diz que está com Covid-19 e que fará quarentena nos EUA

Covid-19: casos no Brasil diminuem após ajuste de dados em estados
Coronavírus

Covid-19: casos no Brasil diminuem após ajuste de dados em estados