Dados de arboviroses geram preocupação

A proposta é apresentada na reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT) no próximo dia 8.

Depósitos d’água representam 76% dos focos do mosquitoDepósitos d’água representam 76% dos focos do mosquito - Foto: Raul Arboleda/afp

 

O Ministério da Saúde divulgou que 855 cidades estão em situação de alerta e risco de surto de dengue, chikungunya e zika após o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa). Entre os municípios em alerta estão Recife, Aracaju, Salvador, Rio Branco, Belém, Boa Vista, Vitória, Goiânia e Manaus. Cuiabá é a única capital em situação de alto risco. O LIRAa, que tem adesão espontânea de cidades com mais de dois mil habitantes, pode ser obrigatório em 2017. A proposta é apresentada na reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT) no próximo dia 8.
Até 22 de outubro, o Brasil registrou 1.458.355 casos de dengue, com 601 mortes. O zika tem 208.867 casos prováveis, o que representa uma taxa de incidência de 102,2 casos a cada 100 mil habitantes. Em 2016, três óbitos foram confirmados. Sobre gestantes, foram registrados 16.696 casos prováveis. O destaque nacional foi a explosão de casos e de mortes por chikungunya. Foram 251 mil casos este ano contra 26,7 mil em 2015, e 138 óbitos informados contra seis, a maioria em Pernambuco. Dados da Secretaria de Saúde apontam 368 mortes por arboviroses notificadas até 19 de novembro, com 145 confirmadas. As notificações gerais aumentaram 284,3% em relação a 2105.

No Nordeste, onde 63,2% dos municípios estão em situação de alerta ou de risco, 76% dos focos são tambores, tonéis e caixas d’água. Para conscientizar a população sobre evitar a proliferação do mosquito foi lançada a campanha “Um simples mosquito pode marcar uma vida. Um simples gesto pode salvar”. O Dia D é 2 de dezembro.

Em Pernambuco, 38 municípios têm risco de surto, 70 estão em alerta e 46 em situação satisfatória. Outros 30 ainda informaram o resultado do 6º LIRAa, entre eles o Recife. O gerente de Vigilância Ambiental do Recife, Jurandir Almeida, informou que o levantamento já foi concluído e que, pelo segundo ciclo consecutivo, o índice de infestação ficou em 1,2 imóvel com Aedes para cada 100 visitados. Mesmo com os bons resultados, os bairros de Casa Amarela, Várzea, Jordão, Alto José Bonifácio e Barro ainda têm índice de risco muito alto. O Recife lança seu plano de combate ao Aedes para 2017 na próxima semana.

 

Veja também

Elefante-marinho vira atração de surfistas e banhistas no Rio
Rio de Janeiro

Elefante-marinho vira atração de surfistas e banhistas no Rio

Mais de 2.300 idosos de abrigos são beneficiados com recursos para alimentação e higiene
PERNAMBUCO

Mais de 2.300 idosos de abrigos são beneficiados com recursos para alimentação e higiene