Pesquisa

De dia ou à noite? Horário afeta eficácia dos remédios para pressão alta, sugere estudo

Isso ocorre por causa do ciclo cicardiano, processo interno natural que regula os períodos de sono-vigília do corpo, influenciando na pressão

Sexo biológico e o relógio circadiano do corpo são fatores críticos no controle da pressão arterial.Sexo biológico e o relógio circadiano do corpo são fatores críticos no controle da pressão arterial. - Foto: Pixabay

A hora em que você toma seu remédio para pressão e o seu sexo podem influenciar na eficácia do medicamento. É o que aponta um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade de Waterloo, no Canadá e publicado na revista científica American Journal of Physiology-Renal Physiologyr.

O sexo biológico e o relógio circadiano do corpo são fatores críticos no controle da pressão arterial, explicam os pesquisadores. O relógio circadiano é um processo interno natural que regula coisas como o ciclo sono-vigília e se repete aproximadamente a cada 24 horas. Entre suas muitas outras funções, o relógio circadiano também regula a função renal. Os rins desempenham um papel crucial na regulação da pressão arterial, gerenciando os níveis de fluidos e eletrólitos no corpo.

"Uma classe importante de medicamentos para pressão arterial são os diuréticos, às vezes chamados de pílulas de água", disse Anita Layton, professora de Matemática Aplicada em Waterloo e autora correspondente do estudo. "Os diuréticos reduzem a pressão sanguínea ao direcionar a função renal para aumentar a quantidade de urina que o corpo excreta. Se não funcionarem corretamente, podem afetar negativamente a pressão sanguínea."

A equipe de Layton usou modelos matemáticos para simular a função renal em camundongos machos e fêmeas para avaliar a eficácia de vários tipos de drogas diuréticas: diuréticos de alça, diuréticos tiazídicos e diuréticos poupadores de potássio.

Os diuréticos de alça bloqueiam a reabsorção de sódio e cloreto, diminuindo a resistência vascular renal do fluxo sanguíneo. Os diuréticos tiazídicos reduzem a pressão aumentando a excreção de sódio e água do corpo. Já os diuréticos poupadores de potássio estimulam a produção de urina, mas evita que o potássio seja eliminado junto.

Primeiro, os pesquisadores simularam ciclos ativos (noturnos, no caso dos roedores) e inativos (diurnos) dos ritmos circadianos de cada camundongo. Em seguida, eles mediram a produção de urina prevista e a excreção de sódio para cada tipo de medicamento, a cada vez, em camundongos machos e fêmeas. Eles descobriram que, para cada categoria de diurético, o sexo e a hora do dia impactavam a eficácia do medicamento de forma diferente.

Embora os humanos normalmente tenham o relógio circadiano oposto — somos ativos durante o dia e inativos à noite — os resultados sugerem que as pessoas podem tornar seus planos de tratamento de pressão arterial mais eficazes escolhendo o horário certo para tomar seus medicamentos.

Durante a fase inativa, os diuréticos poupadores de potássio tiveram os maiores efeitos, enquanto durante a fase ativa, os diuréticos de alça foram mais eficazes. Os diuréticos tiazídicos e de alça produziram a maior excreção de potássio, durante as fases inativa e ativa, respectivamente.

"A cronoterapia, que é a adaptação da administração de medicamentos para corresponder aos ritmos circadianos do corpo, pode desempenhar um papel importante na melhoria da medicina personalizada moderna", apontou Layton.

Veja também

Quatro navios dos EUA encalham perto de cais temporário em Gaza
Gaza

Quatro navios dos EUA encalham perto de cais temporário em Gaza

Governo do Rio Grande do Sul sanciona lei que institui plano de reconstrução do estado
Rio Grande do Sul

Governo do Rio Grande do Sul sanciona lei que institui plano de reconstrução do estado

Newsletter