saúde

"Dedo Ozempic": pacientes relatam perder anéis e pulseiras com mãos magras demais

Joalheiros relatam aumento de até 150% no número de pessoas que pedem para redimensionar anéis em comparação com o ano passado

Mulheres estão gastando de 100 a 700 reais em joalherias para ajustar anéis e braceletes depois de emagrecerem Mulheres estão gastando de 100 a 700 reais em joalherias para ajustar anéis e braceletes depois de emagrecerem  - Foto: Unsplash

Apesar de todas as reclamações envolvendo o Ozempic, remédio aprovado pela FDA e Anvisa no tratamento de diabetes 2, mas usado em massa para o emagrecimento, tem um novo efeito colateral. Após o “corpo de Ozempic”, mais magro, e o “rosto de Ozempic”, com feições mais caídas, agora há o “dedo de Ozempic”.

Centenas de mulheres estão gastando centenas de dólares a fim de redimensionar suas joias como anéis, pulseiras e braceletes, pois, em razão de seus dedos e pulsos estarem mais finos, após o emagrecimento, as relíquias estão mais soltas e caindo com mais facilidade.

Além do receio de descobrir que roupas antigas não servem mais, as mulheres estão com medo de perder suas inestimáveis joias. A febre já pode ser medida pela rede social de vídeos rápidos, TikTok. Usuários comentam que estão gastando mais de 100 dólares em diferentes joalheiros para ajustar os tamanhos de diferentes tipos de adornos.

“Meu anel de noivado não serve há dois anos porque ganhei muito peso. Acabei de perder 41 libras (cerca de 250 reais, na cotação atual) e tenho muito mais pela frente”, disse uma usuária do Oklahoma City.

Jessica, 40, professora de pré-escola em tempo parcial em Houston, é uma das que diz ter sofrido de dedo Ozempic. Ela perdeu 17 quilos nas primeiras seis semanas com o medicamento.

“Eu nunca percebi que a perda de peso também acontecia em suas mãos, mas meu anel de repente não coube. Percebi que estava girando e quase caiu. Eu estava preocupado em perdê-lo”, disse em entrevista ao New York Post.

Joalheiros afirmam que houve um aumento de mais de 150% no número de pessoas que os procuram para obter seus anéis redimensionados em comparação com o ano passado. Conseguir um anel redimensionado pode ser caro. Dependendo do tipo de anel e quanto seus dedos encolheram, pode custar 100 a 700 reais.

O Ozempic é um dos assuntos mais buscados e comentados na rede social, principalmente pelos efeitos colaterais que os usuários começam a sentir depois da primeira aplicação.

Os enjoos e a tontura são os sinais que as pessoas mais sentem, isso porque o princípio ativo do Ozempic é a semaglutida, uma forma sintética do hormônio GLP-1, que promove a saciedade. Nas plataformas digitais, as pessoas relatam que não conseguem beber água, ou colocar um simples alimento na boca, sem sentir náuseas, enjoo e vontade de vomitar. Por conta deste mecanismo, ele ajuda a emagrecer.

Outro sintoma muito relatado nas redes é o mau hálito, que os usuários o associam a falta de alimento no sistema e isso poderia causar um gosto amargo na boca. A constipação, ou prisão de ventre, também foi uma manifestação constante entre as mulheres.

Ainda não foram estabelecidas diretrizes nutricionais padrão para pacientes que tomam Ozempic ou outros medicamentos que funcionam de maneira semelhante, como Wegovy e Mounjaro. Os médicos geralmente dão recomendações dietéticas semelhantes a pessoas que tomam medicamentos como Ozempic e outros pacientes que estão tentando perder peso ou têm diabetes.

Isso significa seguir uma dieta rica em frutas, vegetais e fibras, como a dieta mediterrânea. Evitar alimentos com alto teor de gordura também é fundamental, porque eles podem fazer com que as pessoas que tomam Ozempic se sintam desconfortáveis, até dolorosamente cheias.

Veja também

Herdeiro bilionário é condenado a pagar US$ 900 milhões a vítimas de abusos sexuais
CRIME

Herdeiro bilionário é condenado a pagar US$ 900 milhões a vítimas de abusos sexuais

Professores e técnicos da Educação Básica aceitam proposta do governo para encerrar greve
EDUCAÇÃO

Professores e técnicos da Educação Básica aceitam proposta do governo para encerrar greve

Newsletter