RECIFE

Defensoria e MPPE recomendam ampliação de canais de agendamento para vacinação de idosos no Recife

Órgãos enviaram recomendações à Secretaria Municipal de Saúde nesta quarta-feira (27). Entre as sugestões, há criação de linha telefônica.

Recife inicia a imunização de idosos com idade igual ou acima de 85 anosRecife inicia a imunização de idosos com idade igual ou acima de 85 anos - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

A decisão de priorizar os agendamentos para a vacinação dos idosos a partir de 85 anos contra a Covid-19 pela internet fez a Prefeitura do Recife receber recomendações da Defensoria Pública do Estado e do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para ampliar os canais de acesso à vacina para esse público.

Em ofícios enviados nesta quarta-feira (27), as instituições solicitam que o Executivo municipal crie, pelo menos, um canal telefônico para que os idosos pouco habituados com a tecnologia digital possam marcar horários com mais facilidade por outro meio.

A imunização na Capital pernambucana teve início nesta quarta após a chegada do primeiro lote de vacinas da Oxford/AstraZeneca a Pernambuco no último fim de semana. A cidade recebeu um total de 16.520 doses, que estão sendo aplicadas nos idosos a partir de 85 anos em 65 salas de vacinação distribuídas em nove centros, além de três pontos de drive-thru.

Para receber o imunizante, o principal canal de agendamento é a plataforma Conecta Recife, site que também pode ser acessado por meio de aplicativo no celular. Aos que tiverem dificuldades com a ferramenta, a orientação tem sido procurar as unidades de saúde.

No pedido encaminhado pela Defensoria, a defensora pública Ana Carolina Khouri, do Núcleo de Defesa da Saúde Coletiva, sugere a implantação de pontos físicos de apoio para cadastramento de pessoas que não têm acesso à internet. Ela também pede detalhamentos sobre o atendimento aos idosos acamados e a proporção de vagas para o meio eletrônico e o presencial.

“Começamos a ver pessoas que tiveram dificuldades e foram ao local, mas precisavam aguardar abrir uma vaga para receber a vacina [no centro de vacinação]”, constatou a defensora. “Embora tenha o drive-thru, que é muito bom, a maioria não tem carro e não conta com essa possibilidade. Então, solicitamos uma série de informações e recomendamos que fosse criado um canal telefônico para que as pessoas não tenham que se deslocar, formar filas e se aglomerar”.

Essa também é a preocupação expressada pela titular da 30ª promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania do MPPE, Luciana Dantas Figueiredo, que também enviou uma recomendação à Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).

Na solicitação, ela pede que a pasta faça uma “busca ativa”, adotando medidas para localizar as pessoas acamadas que podem ser vacinadas, e defende a criação de uma linha fixa de telefone. 

“Nós recomendamos que os Distritos Sanitários vão às casas dessas pessoas e levem a vacina e que isso seja divulgado para evitar essa corrida aos postos de saúde com aglomeração. Isso é tudo o que a gente não quer, principalmente com público tão vulnerável à Covid-19”, afirmou.

Por meio de nota, a Sesau informou que não recebeu, até a publicação da matéria, a notificação da Defensoria Pública. Já em relação à recomendação do MPPE, a pasta ressaltou que os agentes comunitários de saúde já monitoram e têm uma lista de pacientes acamados em áreas cobertas pelos programas de Saúde da Família.

Quem não tiver esse cadastro pode solicitar a vacinação em casa pelo site Minha Vacina. A secretaria disse ainda que responderá ao órgão dentro do prazo estabelecido, que é de dez dias.

 

Veja também

Lira chama governadores para diálogo sobre pandemia após ataques de Bolsonaro a medidas restritivas
Governo

Lira chama governadores para diálogo sobre pandemia após ataques de Bolsonaro a medidas restritivas

Museu da Língua Portuguesa será reinaugurado na região central de São Paulo
Museu

Museu da Língua Portuguesa será reinaugurado na região central de São Paulo