Delação da Odebrecht favorece os políticos

O STF tem força política para destituir do cargo um presidente da República, mas o TSE, não

O ministro Carlos Marun durante o jantar O ministro Carlos Marun durante o jantar  - Foto: Gustavo Gloria/FolhaPE

A imprensa já noticiou que a “delação premiada” da Odebrecht atingiria 200 políticos de vários partidos. Uma revista semanal sustenta que o ex-presidente Lula recebeu dinheiro em espécie da empreiteira e ontem se divulgou que Michel Temer teria recebido um cheque no valor de R$ 1 milhão em 2014 para a campanha do PMDB. A imprensa de Brasília, geralmente pouco informada, já admite a hipótese de o TSE, por causa desta doação, cassar o registro da chapa Dilma/Temer, o que levaria o Congresso a eleger por via indireta o próximo presidente da República. Porém, três observações podem ser feitas sobre esses episódios. Primeira, se a delação atingir mesmo 200 políticos, a chance de todos escaparem é bem maior que a de serem condenados. Segunda, Temer não tinha obrigação de saber a origem do dinheiro que recebeu. Terceira, o STF tem força política para destituir um presidente da República. Mas o TSE, não.

O STF tem força política para destituir do cargo um presidente da República, mas o TSE, não

O retorno do “guerreiro”
O vereador Manoel Neco (PDT) apareceu anteontem pela 1ª vez, na Câmara de Jaboatão dos Guararapes, após a derrota no 2º turno para o prefeito eleito Anderson Ferreira (PR). Coube ao também vereador e vice-prefeito eleito, Ricardo Valois (PR), dar-lhe as boas vindas em nome dos colegas. Ele disse que Neco se comportou como um “guerreiro”, e que saiu da eleição maior do que quando entrou..

Ignorância > Emissoras de rádio do Recife, que cobriram os protestos de ontem contra a “PEC 241”, entrevistaram líderes do movimento e o resultado foi desolador. Pelo teor da maioria das respostas, conclui-se que, como disse o presidente Michel Temer, a maior parte dos ativistas não sabe sequer o que significa “PEC”.
Audiência > O superintendente do Ministério do Trabalho em Pernambuco, Geovane Freitas, foi recebido ontem em audiência pelo ministro Ronaldo Nogueira. Estava com o deputado Zeca Cavalcanti (PTB).
Idade > O desembargador aposentado Francisco Sampaio (TJ-PE), que vai completar 88 anos em janeiro próximo, elegeu-se vice de Salgueiro na chapa de Clebel Cordeiro (PMDB). É o vice mais velho do Estado.
Morte > Como evitar a “morte” do PCdoB, PSOL e Rede, que não são “partidos de aluguel” e tendem a desaparecer se o Congresso aprovar a “cláusula de barreira” - é o que angustia os partidos grandes.
Ironia > O senador Armando Monteiro (PTB) rebateu nota da coluna de que os prefeitos eleitos de Salgueiro (Clebel), Goiana (Osvaldinho) e Palmares (Altair Júnior), mais o de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR), votarão em Paulo Câmara em 2018 por serem governistas. “Só faltou indicar o placar eleitoral”, ironizou.

Cicerone > Em sua 1ª viagem a Brasília após a vitória no 2º turno, o prefeito eleito de Olinda, Professor Lupércio (SD), circulou por vários ministérios com o deputado federal e presidente do seu partido em Pernambuco, Augusto Coutinho. As paradas mais importantes foram no MEC e no Ministério das Cidades.
Ilusão > Do deputado e presidente do PSDB de São Paulo, Pedro Tobias, sobre Paulo Câmara (PSB) ter dito ao “Estadão” que o vice Márcio França (PSB) pode ser candidato ao governo daquele Estado com apoio do governador Geraldo Alckmin: “Não existe a menor chance de o PSDB não lançar candidato próprio ao governo de SP. Isso eu posso garantir. A proposta do governador de Pernambuco está completamente fora da realidade”.

Veja também

Professora da Unicap é acusada de racismo
Racismo

Professora da Unicap é acusada de racismo

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG
animais

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG