Delação não homologada subsidiou os procuradores

Pedro Corrêa contou ao Ministério Público Federal que o ex-presidente Lula sabia da corrupção que existia na Petrobras

Lion – Uma Jornada Para CasaLion – Uma Jornada Para Casa - Foto: Divulgação

A denúncia do Ministério Público Federal contra o ex-presidente Lula - seria o “maestro da orquestra” que assaltou os cofres da Petrobras - baseou-se nas colaborações premiadas do ex-diretor Nestor Cerveró, do ex-senador Delcídio do Amaral e do ex-deputado pernambucano Pedro Corrêa. As delações de Cerveró e de Delcídio já foram homologadas pelo ministro Teori Zavascki, relator no STF dos processos oriundos da Operação Lava Jato. A de Pedro Corrêa ainda não, certamente por não ter apresentado provas. Ele contou ao Ministério Público Federal que o desvio de recursos de empresas estatais para “comprar” apoio de partidos políticos no Congresso Nacional teve início no governo Sarney e se prolongou até o de Lula. Mas como ficou apenas no declaratório, sem apresentar documentos sobre aquilo que disse, como fizeram Cerveró e Delcídio do Amaral, sua delação ainda está na “fila” aguardando homologação.

Solidário com o procurador

A Associação Nacional dos Procuradores da República, cujo presidente é o pernambucano José Robalinho, filho do médico Guilherme Robalinho, divulgou nota de solidariedade ao procurador Daltan Dallagnol, que ainda é muito criticado pela “entrevista espetáculo” que deu em Curitiba, na semana passada, antes de denunciar o ex-presidente Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Denúncia > O colunista Marcelo Coelho diz na Folha de S.Paulo que nas primeiras 92 páginas da denúncia “o papel efetivo de Lula é tratado com muita retórica e pouco fundamento documental”. Por isso, afirma, não é difícil crer que Lula tem culpa, “mas não é fácil apostar que a denúncia seja suficiente para uma condenação”.

Ribalta > Antipetista radical, o também colunista Reinaldo Azevedo escreveu: “A denúncia é inepta e a força tarefa (da Lava Jato), com o seu gosto pela ribalta, prestou um favor imenso à defesa de Lula”.

Exército > O prefeito Júnior Matuto (PSB) faz campanha em Paulista pela reeleição com apoio de 250 candidatos a vereador, mais que o triplo dos candidatos de Severino Ramos (PTB) e Sérgio Leite (PDT).

Palanque > O empresário Clebel Cordeiro, que disputa a prefeitura de Salgueiro pelo PMDB, já recebeu apoio de Raul Henry e Armando Monteiro, mas não disse até agora com quem ficará em 2018.

Cobrança > Paulo Câmara esteve em Sertânia na última 6ª feira para participar de um comício do candidato a prefeito Ângelo Ferreira (PSB). Sabendo que o governador estava lá, o prefeito e candidato à reeleição, Guga Lins (PSDB), cobrou-lhe a reforma da estrada que dá acesso ao distrito de Albuquerque Né, que está aos pedaços.

Aliança > Em que pese a direção nacional do PT ter vetado, nessas eleições, aliança com partidos que ajudaram a derrubar Dilma Rousseff, a secção de Itapetim coligou-se com o DEM e está apoiando o vereador Mário José (DEM) para prefeito. Além disso, o senador Humberto Costa esteve lá e pediu votos para o demista.

Atentado > Hélio dos Terrenos, candidato do PTB à prefeitura de Belo Jardim, contou na delegacia, 5ª feira passada, ter sido vítima de uma “tentativa de homicídio”, às 5h da manhã, próximo à sua residência. Sua versão foi interpretada como “armação” por seguidores do prefeito João Mendonça (PSB), que foram a um comício da Frente Popular, neste final de semana, com os bolsos cheios de “balas” para distribuir com a criançada. 

Veja também

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado
meio ambiente

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana
Mariana

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana