Depois de Gusttavo Lima, Bruno e Marrone levam advertência do Conar por live

Os cantores foram comunicados pelas ações promovidas no show "Live Bruno & Marrone Oficial (B&M)", realizado no dia 9 de abril

Bruno e Marrone Bruno e Marrone  - Foto: Divulgação

O Conselho de Ética do Conar, órgão de regulamentação publicitária, promoveu uma reunião por videoconferência na última terça-feira (19), e definiu por unanimidade advertir os músicos Bruno e Marrone, assim como fez com Gusttavo Lima, por excesso de bebida alcoólica em live.

Os cantores foram comunicados pelas ações promovidas no show "Live Bruno & Marrone Oficial (B&M)", realizado no dia 9 de abril, que contou com patrocínio da Brahma, marca de cerveja da Ambev. Segundo a assessoria dos sertanejos, eles não sofreram nenhuma penalidade.

Já a Ambev, diz que foi absolvida da advertência e ressaltou que está "reforçando as regras dado esse novo contexto de entretenimento virtual", a reportagem.

Leia também:
Gusttavo Lima leva apenas advertência do Conar por bebidas alcoólicas em lives
Lives da semana: confira a programação completa


"Estamos mais do que nunca comprometidos com o consumo responsável de nossos produtos. Vale lembrar que a live é de propriedade do artista, muitas vezes realizada em sua casa, o que representa um desafio."

O Conar, por sua vez, abriu um canal de esclarecimento sobre a abertura de representação ética para exame de publicidade de bebidas alcoólicas em lives. Em nota oficial, o órgão explica que não cuida do conteúdo artístico e/ou editorial que, constitucionalmente, está sob o domínio da liberdade de expressão.

"A atuação do Conar está restrita à análise de anúncios cujos responsáveis pactuaram em produzi-los e veiculá-los dentro dos limites da ética", reiteira.

O cantor Gusttavo Lima também foi advertido pelo Conar. Nas ocasiões, ele fez propaganda de algumas bebidas. O Conar abriu uma representação ética contra o cantor e a Ambev por possíveis irregularidades em relação ao consumo.

A live, que teve uma mensagem "a todos os cachaceiros desse mundo" em sua abertura, durou sete horas e meia e teve 5,5 milhões de acessos simultâneos. Uma semana antes, o cantor já tinha feito uma outra apresentação online que durou cinco horas e teve mais de 750 mil acessos simultâneos.

A Ambev foi absolvida em ambas situações.

Confira o posicionamento na íntegra da Ambev:
"Nesse momento de quarentena, sabemos que as lives de cantores e artistas assumiram um papel relevante e inovador para manter as pessoas dentro de casa e levar um pouco de entretenimento. Para promover a iniciativa, patrocinamos alguns desses eventos, sempre com o cuidado de assegurar as medidas de higiene e distanciamento social e com a devida orientação prévia aos artistas sobre as regras do CONAR de publicidade de bebidas. Além disso, enviamos um guia reforçando as regras do CONAR e treinamos as pessoas envolvidas. Estamos reforçando as regras dado esse novo contexto de entretenimento virtual e estamos mais do que nunca comprometidos com o consumo responsável de nossos produtos. Vale lembrar que a live é de propriedade do artista, muitas vezes realizada em sua casa, o que representa um desafio."

Veja também

Plaza Shopping tem ação para descarte de óleo de cozinha usado
Responsabilidade socioambiental

Plaza Shopping tem ação para descarte de óleo de cozinha usado

Auditoria cita montagem, e gestão Bolsonaro encaminha anulação de contrato da Covaxin alvo de CPI
CPI DA COVID

Auditoria cita montagem, e governo encaminha anulação de contrato da Covaxin alvo de CPI