Derrota inesperada do handebol é maior revés do Brasil no Pan

Na saída da quadra, após perderem por 32 a 29 para o Chile na noite desse domingo (4), os jogadores brasileiros tentavam encontrar palavras que explicassem um resultado tão surpreendente

Seleção brasileira de handebol perdeu para o Chile por 32x29, nesse domingo (04), no Pan-Americano de LimaSeleção brasileira de handebol perdeu para o Chile por 32x29, nesse domingo (04), no Pan-Americano de Lima - Foto: Divulgação/COB

A derrota da seleção brasileira masculina de handebol nas semifinais dos Jogos Pan-Americanos de Lima é um golpe duro para uma equipe que chegou ao torneio embalada pela sua melhor participação em campeonatos mundiais, o nono lugar obtido em janeiro.

Também é o resultado mais decepcionante até agora para a delegação do país no evento, já que o campeão do handebol conquista a vaga olímpica em Tóquio-2020. A seleção feminina do Brasil garantiu a sua presença.

Obter classificações para os Jogos do ano que vem é a principal meta do Comitê Olímpico do Brasil no Peru. Na saída da quadra, após perderem por 32 a 29 para o Chile na noite desse domingo (4), os jogadores brasileiros tentavam encontrar palavras que explicassem um resultado tão surpreendente.

Leia também:
Brasil atropela a seleção do Peru no handebol masculino
Brasil estreia com vitória no handebol masculino

"Foi bastante duro. A gente estudou, fez tudo direitinho, mas tem as variáveis que você não controla. Tivemos momentos de desatenção durante o jogo, o goleiro deles fez uma partida bem acima da média, e para a gente faltou mais paciência no ataque e intensidade na defesa. Não foi falta de vontade, lutamos todo o jogo, mas o Chile foi superior hoje", disse o capitão do time, Thiagus Petrus, 30.

Haniel Langaro, 24, um dos principais jogadores da equipe brasileira, foi o último a deixar a quadra. "Difícil falar, difícil explicar o que aconteceu. Parabéns para o Chile, hoje foram melhores. É duro, mas vamos trabalhar, ter cabeça e voltar mais fortes", afirmou.

Fora dos dois primeiros lugares, a seleção brasileira dependerá de resultados dos torneios continentais da Europa e da África para ter uma chance de disputar o pré-olímpico mundial no ano que vem.

Assim como o time masculino do Brasil, o chileno também vem em evolução no esporte, ainda que em menor escala. Participou das últimas quatro edições do Mundial e na primeira fase do Pan fez um jogo duro contra a Argentina, segunda maior potência sul-americana. Brasileiros e argentinos haviam decidido os últimos quatro torneios do Pan.

"Você sempre quer ganhar do time de que nunca ganhou, então sempre faz a mais. Hoje tudo deu certo para eles, eles tiveram esse a mais. Foi um dia ruim para a gente e excelente para eles", disse Petrus.

Enquanto os atletas derrotados lamentavam, os vencedores pareciam não acreditar. Já os poucos chilenos nas arquibancadas faziam barulho ao entoar o tradicional canto "chi-chi-chi-le-le-le", felizes com um momento histórico para o esporte do país.

Veja também

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise
Coronavírus

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise

Governo federal investe em nova fábrica de vacinas da Fiocruz

Governo federal investe em nova fábrica de vacinas da Fiocruz