Brasileirão

Goiás descobre dez casos de Covid-19, e jogo contra São Paulo é suspenso

Resultados dos exames saíram apenas na manhã deste domingo (9). STJD suspendeu a partida

Jogadores do São Paulo chegaram a entrar em campo, neste domingo (9), em GoiâniaJogadores do São Paulo chegaram a entrar em campo, neste domingo (9), em Goiânia - Foto: Carlos Costa/Futura Press/Folhapress

O jogo entre Goiás e São Paulo, que deveria acontecer neste domingo (9), às 16h, em Goiânia, pela primeira rodada da Série A do Campeonato Brasileiro 2020, está suspenso. A decisão foi comunicada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). O presidente do órgão, Otávio Noronha deferiu o pedido do clube goiano para não entrar em campo após os casos de Covid-19 detectados no elenco esmeraldino.

O São Paulo entrou em campo para a partida, mas os jogadores do Goiás ficaram nos vestiários. O clube afirma que não disputará o jogo. Na manhã deste domingo, o clube recebeu a notícia de que 10 jogadores do elenco, entre eles oito titulares, testaram positivo para o novo coronavírus.

As coletas foram realizadas na sexta-feira (7), com os 26 atletas do plantel, mas os resultados só foram entregues horas antes do compromisso. Com tantos jogadores indisponíveis, o Goiás, que realizou novos testes antes do jogo, acionou o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para pedir o adiamento da partida. 

Ainda segundo o Goiás, uma rodada de testes foi realizada na última quinta-feira (6), mas acabaram invalidados em razão de uma falha do laboratório escolhido pela CBF. A nova bateria de exames só pôde ser realizada na sexta e os resultados não puderam ficar prontos 24 horas antes do jogo, como determina o protocolo sanitário da competição. "Para agravar mais a situação, os contaminados estavam concentrados, dormindo dois atletas por quarto", afirma o clube em nota.

O Hospital Albert Einstein, parceiro da CBF no processo de realização e monitoramento dos testes de Covid-19 nos clubes, confirmou que houve uma falha nos procedimentos dos exames de atletas do Goiás. "O Hospital Israelita Albert Einstein identificou uma falha técnica na coleta das amostras, feita em um laboratório parceiro em Goiás, para realização de teste RT-PCR em atletas e equipes dos clubes Vila Nova e Goiás. Solicitou, portanto, novas amostras antes do processamento dos exames. Elas foram refeitas e encaminhadas para análise no laboratório do hospital em São Paulo, sem nenhum prejuízo aos prazos estabelecidos para apresentação dos resultados", disse o Einstein, em nota encaminhada à reportagem.

Antes da quartas de final do Campeonato Paulista, entre Red Bull Bragantino e Corinthians, o Einstein já havia enfrentado problemas com o diagnóstico equivocado de 26 profissionais do clube de Bragança que estariam infectados, nove deles jogadores.

Os testes foram refeitos em outras instituições médicas, que não detectaram casos positivos. O Einstein, então, realizou novamente os exames nos atletas do Bragantino, que confirmaram o diagnóstico de outros laboratórios: o clube não tinha profissionais infectados.

A CBF ainda não se pronunciou sobre o pedido de adiamento do Goiás. A entidade, porém, anunciou, na tarde deste domingo, o adiamento do jogo Treze-PB x Imperatriz-MA, pela Série C do Campeonato Brasileiro. Os testes de Covid-19 no clube maranhense identificaram 12 atletas infectados com a doença entre os 19 inscritos para a competição.

O Brasileiro iniciou neste fim de semana, o mesmo em que o Brasil superou a marca de 100 mil mortes decorrentes da Covid-19. Por conta da pandemia, três partidas da primeira rodada da Série A do Nacional precisaram ser adiadas, já que há estaduais que terminaram somente neste fim de semana, como o Paulista e o Baiano.

Veja nota oficial do Goiás sobre o caso:
"O Goiás Esporte Clube vem a público informar que, devido a quantidade de resultados positivos do Covid-19 nos exames apresentados pela CBF, está tentando junto a entidade o adiamento da partida deste domingo contra o São Paulo. O clube vem fazendo testes para coronavírus semanalmente, do tipo RT-PCR, o mais confiável. Além de jogadores, são feitos exames em membros da comissão técnica, estafe que trabalha no Centro de Treinamento e em jogos no estádio do time. Eram cerca de 70 testes feitos no Goiás Esporte Clube por semana.

Antes do jogo contra o São Paulo, foi feita uma nova rodada de exames. Só que, ao contrário das vezes anteriores, desta vez a coleta foi realizada por um laboratório escolhido pela CBF. Os exames feitos na última quinta-feira foram invalidados pela CBF. A alegação é de que as amostras foram acondicionadas de maneira inapropriada. A CBF então pediu uma nova coleta ao laboratório, e os exames foram realizados na sexta-feira.

A apresentação dos resultados deveria ter sido feita no mínimo com 24h de antecedência da partida, prazo este que não foi cumprido. Os resultados só ficaram disponíveis para o Goiás Esporte Clube na manhã deste domingo, dia do jogo. De 26 testes realizados pela CBF, 10 contaminados, sendo 8 jogadores da equipe titular. Para agravar mais a situação, os contaminados estavam concentrados, dormindo dois atletas por quarto.

O clube acredita que se for para seguir um protocolo de segurança de saúde e prevenção ao Covid-19, todos deveriam estar em isolamento e observação pelo contato recente com pessoas contaminadas. O clube lamenta a situação e já realizou, por conta própria, uma nova bateria de exames nos contaminados. Resta agora aguardar se o pedido de adiamento do jogo será acatado ou não pela CBF."

Veja também

Protocolos de higiene são desrespeitados em volta de atividades esportivas no Recife
Coronavírus

Protocolos de higiene são desrespeitados em volta de atividades esportivas no Recife

Polícia prende mais de 150 pessoas em Paris após derrota do PSG
Futebol

Polícia prende mais de 150 pessoas em Paris após derrota do PSG