GAZA

Dezenas de corpos são exumados em hospital de Gaza; Israel promete aumentar pressão

O líder israelense segue decidido a lançar uma ofensiva terrestre em Rafah, no extremo sul da Faixa de Gaza

Foto: AFP

Dezenas de corpos foram exumados no pátio de um hospital da Faixa de Gaza alvo de uma incursão de Israel, anunciou neste domingo a Defesa Civil do território palestino.

“Aumentaremos nos próximos dias a pressão militar e política sobre o Hamas, pois é a única forma de libertar nossos reféns e alcançar a nossa vitória”, advertiu o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

Após mais de seis meses de ofensiva contra o movimento islamita palestino, o líder israelense segue decidido a lançar uma ofensiva terrestre em Rafah, no extremo sul da Faixa de Gaza.

Também no sul do território palestino, em Khan Yunis, a Defesa Civil anunciou ter descoberto 50 corpos de pessoas mortas e enterradas pelas forças israelenses no complexo médico Nasser. “Alguns corpos estavam nus, o que indica que sofreram tortura." Um fotógrafo da AFP viu hoje membros da Defesa Civil exumando restos humanos no pátio.

O Exército israelense, que retirou seus soldados de Khan Yunis após “uma operação precisa e limitada” no hospital, informou que verificava as afirmações.

'Viver ou morrer'
A descoberta macabra foi feita depois que a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou ontem US$ 13 bilhões em ajuda militar para Israel.

Segundo o Hamas, esse pacote autoriza Israel "a continuar a agressão brutal” aos palestinos. O movimento islamita acusou Washington de ter “responsabilidade política, legal e moral pelos crimes de guerra” cometidos por Israel.

Dezesseis pessoas morreram hoje em bombardeios israelenses contra duas casas em Rafah, segundo a Defesa Civil de Gaza. Como acontece diariamente, sobreviventes vasculhavam os escombros após uma noite de pânico.

“Estávamos dormindo e fomos acordados pelo pesadelo de uma explosão. O teto caiu em cima das crianças", contou Umm Hassan Kloub, 35, cuja casa abriga famílias deslocadas.

Na Cisjordânia ocupada, dois palestinos foram mortos hoje por soldados israelenses, segundo o Ministério da Saúde da Autoridade Palestina. O Exercito de Israel afirmou que os indivíduos tentaram atacar militares nos arredores do povoado de Beit Einun, perto da cidade de Hebron.

'Região em chamas'
A guerra na Faixa de Gaza avivou outras tensões no Oriente Médio, especialmente após o ataque sem precedentes do Irã a Israel no último dia 13. O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, elogiou hoje "o sucesso obtido pelas Forças Armadas nos últimos acontecimentos", que ilustra "a grandeza do Irã" no cenário internacional.

Para o analista político iraniano Hamid Gholamzadeh, “a região está em chamas e uma guerra total pode eclodir a qualquer momento. Ações como essa a tornam mais iminente."

Veja também

Moraes suspende lei municipal que proibia linguagem neutra nas escolas
EDUCAÇÃO

Moraes suspende lei municipal que proibia linguagem neutra nas escolas

OpenAI irá "pausar" voz comparada à de Scarlett Johansson
OpenAI

OpenAI irá "pausar" voz comparada à de Scarlett Johansson

Newsletter