Saúde

Dieta mediterrânea consegue 'rejuvenescer' idade do cérebro, mostra estudo

Pesquisa realizada em Israel mostra que pessoas que consumiram frutas, vegetais, grãos e legumes eram quase 9 meses mais jovens do que o esperado

Dieta mediterrânea foi eleita a melhor do mundo. Dieta mediterrânea foi eleita a melhor do mundo.  - Foto: Freepik

Uma dieta rica em frutas, vegetais, legumes, grãos integrais, nozes, sementes, proteínas magras e gorduras saudáveis pode fazer maravilhas para a idade biológica do seu cérebro, diz estudo israelense.

Segundo os pesquisadores, a dieta mediterrânea pode retardar os sinais de envelhecimento acelerado do órgão, normalmente observados na obesidade, com apenas 1% de perda no peso corporal.

As varreduras cerebrais realizadas após 18 meses mostraram que a idade cerebral dos participantes parecia quase 9 meses mais jovem do que o esperado, em comparação com as estimativas da idade cronológica de seus cérebros.

O novo estudo mostra que, apesar de fatores externos, como o estresse, seguir uma dieta pobre em carnes vermelhas e gorduras processadas pode ser uma das opções mais simples para melhorar a condição corporal, independentemente dos anos.

A pesquisa foi feita com cerca de 100 pessoas que participavam de um ensaio clínico maior conduzido em Israel. O estudo foi feito antes do início do teste e outro novamente após 18 meses, juntamente com testes de função hepática, níveis de colesterol e peso corporal.

Os participantes foram separados em três grupos distintos. No primeiro, as pessoas se alimentaram de dieta mediterrânea com muitas nozes, peixe e frango em vez de carne vermelha; O segundo: uma dieta mediterrânea com alguns extras adicionados, como chá verde para os polifenóis; e o terceiro consumiu uma dieta baseada em diretrizes dietéticas saudáveis.

Como resultado, as pessoas, de modo geral, perderam cerca de 2,3 quilos. Para cada 1% do peso corporal perdido, os cérebros dos participantes pareciam quase 9 meses mais jovens do que sua idade cronológica.

Os pesquisadores, entretanto, não sabem se as mudanças na conectividade cerebral realmente se traduzem em melhorias na função cerebral, porém, tem certeza de que uma dieta saudável com variedade de alimentos e rica em proteínas pode ser um caminho para o rejuvenescimento cerebral.

“Nosso estudo destaca a importância de um estilo de vida saudável, incluindo menor consumo de alimentos processados, doces e bebidas, na manutenção da saúde do cérebro”, diz o principal autor e neurocientista Gidon Levakov, da Universidade Ben-Gurion do Negev, em Israel.

Entre as limitações do estudo, os cientistas destacam que a maioria dos participantes eram homens e eles preencheram pesquisas online sobre sua dieta e hábitos de vida, o que significa que os dados podem ser distorcidos pelo que eles poderiam lembrar ou optar por relatar.

Veja também

Mercado Público de Porto Alegre reabre com 53 lojas
rio grande do sul

Mercado Público de Porto Alegre reabre com 53 lojas

Com duas vaginas e sem ânus, mulher vive com condição genética ultrarrara

Com duas vaginas e sem ânus, mulher vive com condição genética ultrarrara

Newsletter