Notícias

Distrito Federal estende medidas de isolamento social até maio

O novo decreto também flexibiliza o funcionamento do comércio destinado à alimentação e a serviços essenciais

Homem usa máscara e viseira de plástico para se proteger contra o coronavírusHomem usa máscara e viseira de plástico para se proteger contra o coronavírus - Foto: AL BELLO / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY

O governador Ibaneis Rocha (MDB) estendeu as medidas de isolamento social no Distrito Federal. As restrições, que deveriam acabar no domingo (5), ficam em vigor até maio.

Parques, academias, restaurantes, bares e parte do comércio ficam fechados até o dia 3 de maio. As aulas em instituições de ensino públicas e privadas ficam suspensas até o final do mesmo mês.

O novo decreto também flexibiliza o funcionamento do comércio destinado à alimentação e a serviços essenciais.

Os restaurantes e lanchonetes continuam atendendo apenas por serviços de delivery.

Os supermercados seguem autorizados a funcionar assim como padarias e lojas de conveniência, sendo vedado o consumo no interior dos estabelecimentos.

Leia também:
Brasil fará teste em massa para saber número de infectados por coronavírus
Bolsonaro sanciona voucher de R$ 600 para trabalhadores informais com vetos

A mudança está na flexibilização das feiras permanentes na cidades. Elas vão poder voltar a funcionar parcialmente a partis do dia 6 de abril. Apenas, produtos alimentícios poderão ser comercializados.

Para funcionar, os comerciantes terão que manter a distância mínima de dois metros entre as pessoas, os funcionários terão que usar máscaras e terão que disponibilizar de álcool em gel 70%.

O governo manteve as restrições a trabalhadores acima de 60 anos ou pertencente a algum grupo de risco para a Covid-19. Eles não poderão voltar aos postos de serviços autorizados pelo decreto.

Lavanderias e floriculturas também poderão funcionar, mas apenas com sistema de entregas.

O decreto mantém a recomendação à circulação de idosos, crianças, gestantes e pessoas com doenças crônicas se limite a alimentação e saúde.

O texto diz que empresas e pessoas que descumprirem as normas vão ser responsabilizadas.

Veja também

Covid-19: Brasil registra 7,9 mil casos e 120 mortes em 24 horas
Coronavírus

Covid-19: Brasil registra 7,9 mil casos e 120 mortes em 24 horas

Pernambuco investiga surto de "superfungo" em unidades hospitalares
Fungo

Secretaria de Saúde de Pernambuco investiga surto de "superfungo" em unidades hospitalares