Documentário pernambucano sobre rio Pajeú estreia no Canal Curta!

A primeira exibição acontece nesta quinta-feira (21), às 18h30, na programação do canal fechado

O documentário traz depoimentos de escritores, poetas,  cantadores e outros artistas que vivem nas cidades formadas às margens do Rio PajeúO documentário traz depoimentos de escritores, poetas, cantadores e outros artistas que vivem nas cidades formadas às margens do Rio Pajeú - Foto: Divulgação

Pelas correntezas da música de Luiz Gonzaga "Riacho do Navio", o Rio Pajeú é citado como a maior bacia hidrográfica do Estado. É na Serra da Balança, no município de Brejinho, próximo à divisa entre os estados da Paraíba e Pernambuco, que o famoso rio nasce, e sai desbravando o Sertão por suas passagens por várias cidades, a exemplo de Itapetim, Tuparetama, São José do Egito, Ingazeira e mais. A fluidez do rio também pauta a cultura dos lugares, e a sua importância virou tema de documentário, que estreia hoje, às 18h30 no Canal Curta!.

“O Rio Feiticeiro”, produzido pela Luni e com direção de Alexandre Alencar, que assina também o roteiro ao lado e Aquiles Lopes e Lula Queiroga, retrata a variedade cultural que floresceu às margens do rio. "O Pajeú é um rio que nem sempre tem água, mas demarca uma região fundamental para a cultura de Pernambuco e do Nordeste. A presença dele é maior que o próprio manancial. A ideia surgiu da vivência e de várias incursões que fizemos pelo Sertão do Pajeú. Em 2016, o Canal Curta! abriu chamada pública para novos projetos, então convidamos Antônio Marinho, que é poeta do Pajeú, para esse trabalho. Estruturamos juntos uma pesquisa de localidades e personagens", conta Aquiles.

Leia também:
Crítico pernambucano Luiz Joaquim assume vice-presidência da Abraccine
Eleição ocorreu em assembleia realizada durante o 47º Festival
'
Suporto Perder', terceiro single de Flaira Ferro, chega às plataformas

Segundo Alexandre, a produção audiovisual ganha molde a partir do desenvolvimento do projeto. "Documentário é uma obra aberta. Por mais que você tenha uma linha traçada, sempre vai depender do que encontrar ao longo da produção. Fomos percorrendo e encontrando cada detalhe. O rio é visivelmente presente na mente das pessoas. Algo que transcende a importância básica do rio. Ele inspira e encanta a todos", enfatizou;

O documentário, que teve como propósito realizar o trajeto físico do Pajeú, indo da nascente, em Brejinho, ao encontro com São Francisco, em Floresta, contou com 30 personagens do ramo cultural, percorrendo 14 cidades pernambucanas. Um dos personagens e também fio condutor da narrativa, o poeta Antônio Marinho, apresenta aos espectadores, de forma intimista, a história do que corta o Sertão de Pernambuco: "A poesia do Pajeú sempre é bem recepcionada em qualquer linguagem colocada ao público. O Pajeú está vivendo um momento mágico das expressões culturais. Sem dúvidas, o documentário é mais um olhar para poesia do Pajeú".

Veja também

Carrefour terá que punir funcionário que praticar racismo, decide Justiça
Racismo

Carrefour terá que punir funcionário que praticar racismo, decide Justiça

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS
HIV

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS