Documentos estaduais constarão cor e raça

Anúncio foi do governador Paulo Câmara, antes da entrega da medalha Solano Trindade a personalidades negras

Cinco pessoas receberam a honraria no PalácioCinco pessoas receberam a honraria no Palácio - Foto: Rafael Furtado

 

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, assinou na última segunda-feira (21), no Palácio do Campo das Princesas, um decreto que prevê o quesito raça/cor nos documentos governamentais, com o objetivo de identificar esse segmento da população - que representa 54% dos pernambucanos -, e consequentemente possibilitar o seu empoderamento.
“A partir de agora, formulários que tiverem que ser preenchidos pela população em maternidades, nos programas de distribuição de sementes para a agricultura, ou no ato da matrícula em escolas públicas, por exemplo, identificarão o usuário pelo requisito de raça/cor, para que possamos saber se os negros estão sendo atendidos pelas políticas públicas governamentais”, explicou o secretário de Desenvolvimento Humano, Criança e Juventude, Isaltino Nascimento, durante a solenidade para assinatura do decreto.
Também foi entregue ao governador um documento das Mulheres Negras com necessidades e propostas para as mulheres negras de Pernambuco. Na ocasião, Paulo Câmara defendeu que o Estado está cada vez mais empenhado em promover políticas públicas em favor de qualquer tipo de discriminação.
O evento foi também dedicado a comemorar o Dia da Consciência Negra, com a entrega da Medalha Solano Trindade a cinco personalidades negras de Pernambuco. Foram agraciados o fundador do Movimento Negro de Pernambuco, Edvaldo Ramos, a militante feminista e enfermeira Soni Santos (em memória), o Afoxé Alafin Oyó, a fundadora do Movimento Negro no Recife, Inaldete Pinheiro, e Mestre Walfrido, o Ogan mais antigo da matriz africana.

 

Veja também

Escolas particulares protestam por retorno das aulas presenciais
Educação

Escolas particulares protestam por retorno das aulas presenciais

Idosa morre depois de transferência do Hospital de Bonsucesso, no Rio
Rio de Janeiro

Idosa morre depois de transferência do Hospital de Bonsucesso, no Rio