A-A+

Dólar vai a R$ 4,45, e bolsas europeias recuam com temor do coronavírus

As ações de viagens sofrem o maior impacto do recuo, após um salto nos casos de coronavírus fora da China aprofundar os temores de uma pandemia que poderia afetar o crescimento global

Bolsa de valores de São PauloBolsa de valores de São Paulo - Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP

O dólar abriu nesta quinta-feira (27) com leve alta de 0,2%, atingindo R$ 4,45. Já as bolsas europeias operam em queda de até 2%. As ações de viagens sofrem o maior impacto do recuo, após um salto nos casos de coronavírus fora da China aprofundar os temores de uma pandemia que poderia afetar o crescimento global.

Em Londres, o índice Financial Times recuava 1,71%, a 6.922 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX caía 2,11%, a 12.505 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 perdia 1,93%, a 5.574 pontos. Em Milão, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização de 1,78%, a 23.005 pontos. Já em Madrid, o índice Ibex-35 registrava baixa de 1,53%, a 9.174 pontos.

Aumentando as preocupações, o dia era marcado por alertas sobre lucro de empresas blue-chips. O Standard Chartered caía 3,7% depois que o banco disse que uma meta importante de lucro levará mais tempo para ser alcançada, já que a epidemia está agravando os obstáculos em seus principais mercados na China e em Hong Kong.

Leia também:
BC leiloa contratos de US$ 1 bilhão para tentar conter disparada do dólar
Bolsa despenca 4,7% com riscos do coronavírus sobre a economia
Bancos passam a cobrar dólar do dia da compra com cartão

A Anheuser-Busch InBev despencava 8% depois que a maior fabricante de cerveja do mundo reduziu a meta de crescimento para 2020, em parte devido ao surto. "As incertezas quanto à desaceleração macro global pelo surto de coronavírus nos forçam a uma alocação prudente", disse Angelo Meda, diretor de ações do Banor SIM.

Às 8h02 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 caía 2,05%, a 1.545 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdia 2,2%, a 396 pontos, sexto dia de queda em sete, caminhando para seu maior declínio semanal desde maio de 2011.

Veja também

Crise climática põe sobrevivência humana em risco, diz federação de ginecologia
Saúde em risco

Crise climática põe sobrevivência humana em risco, diz federação de ginecologia

Moderna anuncia que sua vacina contra covid-19 tem eficácia forte em crianças de 6 a 11 anos
Coronavírus

Moderna anuncia que sua vacina contra covid-19 tem eficácia forte em crianças de 6 a 11 anos