Dom Fernando Saburido celebra a Liturgia da Paixão na Catedral da Sé

Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido chamou atenção para o distanciamento dos ensinamentos aos quais o mundo está vivenciando

Liturgia da Paixão, na Catedral da Sé, celebrada por Dom Fernando SaburidoLiturgia da Paixão, na Catedral da Sé, celebrada por Dom Fernando Saburido - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O tempo, na tarde desta sexta-feira (30), ficou fechado e com risco de pancadas de chuvas. Mas não foi impeditivo para que muitos fiéis comparecessem à celebração da Liturgia da Paixão, na Catedral da Sé, em Olinda. O rito - a Igreja Católica não celebra missa na sexta-feira da Paixão, porque o dia é marcado pelo silêncio -  foi ministrado por Dom Fernando Saburido. O arcebispo de Olinda e Recife relembrou a paixão e a morte de Jesus Cristo. Por ser um dia sem Eucaristia, o altar esteve descoberto, sem nenhuma decoração no presbitério.

A celebração é dividida em momento da Paixão Anunciada (ou Rito da Palavra), seguido da Exaltação do Lenho Sagrado (da Santa Cruz ou do Santo Madeiro) e Comunhão. Na Paixão Anunciada, são lidas passagens bíblicas do Antigo e do Novo Testamento que falam sobre o sacrifício de Cristo. Na Exaltação da Santa Cruz, os fiéis formam uma fila e vão, um a um, beijar a imagem do Cristo Crucificado. Depois disso há a Comunhão, bênção sobre o povo e saída silenciosa.

Dom Fernando Saburido chamou atenção para o distanciamento dos ensinamentos aos quais o mundo está vivenciando. “Deus morreu de amor por cada um de nós e estamos vivendo afastados desse amor. Nós temos que criar uma unidade dentro da Igreja para que se viva os ensinamentos de Deus”, afirmou.

Paixão de Jesus continua em cada irmão que passa por dificuldade. Como a comunidade se inquietam diante da violência? Essa situação é responsabilidade de cada um de nós. Vemos violência em todos os aspectos, seja por falta de assistência à saúde, na questão do desemprego, que leva as pessoas a apelarem para a violência”, enfatizou Dom Fernando Saburido.

Leia também
Arquidiocese de Olinda e Recife: confira programação de missas durante o feriado
Domingo de Ramos leva fiéis para igrejas de Olinda e Recife
Não podemos achar que a violência seja algo normal, diz dom Saburido
Papa lava os pés dos presos não católicos

Liturgia da Paixão, na Catedral da Sé, celebrada por Dom Fernando Saburido

Liturgia da Paixão, na Catedral da Sé, celebrada por Dom Fernando Saburido - Crédito: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco


O arcebispo ainda convidou os fiéis a se engajarem na Campanha da Fraternidade - que este ano tem como tema o combate à violência - para discutirem soluções destes problemas. “Nós temos que dar as mãos como comunidade de fé e darmos nossa contribuição para que o mundo melhore”, disse Dom Fernando Saburido.

Na Arquidiocese de Olinda e Recife, após os ritos das Liturgia, dom Fernando Saburido e os fiés acompanham a procissão do Senhor Morto pelo Sítio Histórico de Olinda. Esta tradição tem como missão lembrar o momento em que os discípulos retiram o corpo de Jesus Cristo da cruz e o sepultam.

 

Reação dos fiéis

Para a auxiliar de biblioteca Eliete Lopes, “as pessoas precisam de mais amor e afeto. Precisam ser mais caridosas e momentos como estes (a missa) são gloriosos para despertar esses sentimentos nas pessoas”, disse. Ela, que mora na cidade de Abreu e Lima (Região Metropolitana do Recife), veio pela primeira vez à celebração da Liturgia da Paixão. Fiéis se emocionaram ao tocar na imagem de Jesus Cristo no altar. A professora Angela Pedrosa, acompanhada do seu filho de 12 anos, afirmou que esse é o momento de todos serem gratos aos sacrifícios que Jesus fez. “É emocionante tocar os pés de Cristo. É o momento que podemos pregar o respeito e a fé. Não só na quaresma, mas o ano inteiro”, disse a professora que comparece a essa celebração há 10 anos.

Veja também

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica
América Latina

Arce assumirá as rédeas de uma Bolívia polarizada e em crise econômica

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro
Covid-19

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro