Doméstica é presa com 'supermaconha' colada ao corpo com esparadrapo

Prisão ocorreu no Aeroporto; segundo a PF, a suspeita aparentava nervosismo e inquietação

Droga estava em invólucros colados ao corpo da mulherDroga estava em invólucros colados ao corpo da mulher - Foto: Divulgação/Polícia Federal

A doméstica Diana Caroline Santos da Silva, de 29 anos, foi presa em flagrante com 1,6 de skunk, também conhecida como "supermaconha", colada ao corpo com esparadrapo. Segundo a Polícia Federal (PF), a mulher, de origem manauara, possui antecedentes criminais e já havia sido presa por furto a um supermercado em Manaus/AM. A prisão ocorreu durante fiscalização de rotina no Aeroporto Internacional do Recife, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul da Capital, na manhã da terça-feira (6) e foi divulgada pela PF nesta quinta-feira (8).

Ainda de acordo com informações da PF, os policiais notaram que Diana havia chegado atrasado na área de embarque e aparentava nervosismo, inquietação e impaciência, além de apresentar dificuldades para andar. Ela foi então chamada para uma entrevista prévia e respondia às perguntas dos policiais com insegurança e contradição. Em seguida, uma policial descobriu a droga escondida por baixo de suas roupas e fixada na barriga com um esparadrapo.

Leia também:
Homem é apreendido com skunk no Aeroporto
Homem passa mal e morre no Aeroporto do Recife

Foram encontrados quatro invólucros plásticos com a "supermaconha" colocados no corpo da doméstica, que totalizaram 1,6 do entorpecente. Além da droga, os policiais apreenderam alguns documentos de depósito bancário e passagem aérea. Um narcoteste resultou positivo para skunk. A doméstica recebeu então voz de prisão em flagrante e foi autuada por tráfico interestadual de drogas. Diana foi encaminhada à audiência de custódia, e está à disposição da Justiça Estadual. O Portal FolhaPE entrou em contato com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para saber o resultado da audiência.

Em interrogatório, a doméstica se limitou a informar que foi aliciada por uma mulher em Manaus. Ela afirmou que receberia R$ 1,5 mil pelo serviço e que, quando desembarcasse no Recife, faria uma conexão para Natal/RN. No desembarque ela entregaria a droga para uma pessoa que lhe identificaria pela cor da roupa. Por fim, Diana alegou que transportou a droga por dificuldades financeiras.

Segundo a PF, essa foi a nona apreensão de drogas no Aeroporto este ano. Até o momento 10 pessoas foram presas, sendo três homens e sete mulheres. Ao todo foram 60,2 quilos de cocaína e 30 quilos de skunkg apreendidos.

Veja também

Vestibular da Unicap oferta 4.508 vagas em 52 cursos; veja como se inscrever
Educação

Vestibular da Unicap oferta 4.508 vagas em 52 cursos; veja como se inscrever

Ex-presidente francês morre de Covid-19
Coronavírus

Ex-presidente francês morre de Covid-19