Doméstica é presa com 'supermaconha' colada ao corpo com esparadrapo

Prisão ocorreu no Aeroporto; segundo a PF, a suspeita aparentava nervosismo e inquietação

Droga estava em invólucros colados ao corpo da mulherDroga estava em invólucros colados ao corpo da mulher - Foto: Divulgação/Polícia Federal

A doméstica Diana Caroline Santos da Silva, de 29 anos, foi presa em flagrante com 1,6 de skunk, também conhecida como "supermaconha", colada ao corpo com esparadrapo. Segundo a Polícia Federal (PF), a mulher, de origem manauara, possui antecedentes criminais e já havia sido presa por furto a um supermercado em Manaus/AM. A prisão ocorreu durante fiscalização de rotina no Aeroporto Internacional do Recife, no bairro da Imbiribeira, Zona Sul da Capital, na manhã da terça-feira (6) e foi divulgada pela PF nesta quinta-feira (8).

Ainda de acordo com informações da PF, os policiais notaram que Diana havia chegado atrasado na área de embarque e aparentava nervosismo, inquietação e impaciência, além de apresentar dificuldades para andar. Ela foi então chamada para uma entrevista prévia e respondia às perguntas dos policiais com insegurança e contradição. Em seguida, uma policial descobriu a droga escondida por baixo de suas roupas e fixada na barriga com um esparadrapo.

Leia também:
Homem é apreendido com skunk no Aeroporto
Homem passa mal e morre no Aeroporto do Recife

Foram encontrados quatro invólucros plásticos com a "supermaconha" colocados no corpo da doméstica, que totalizaram 1,6 do entorpecente. Além da droga, os policiais apreenderam alguns documentos de depósito bancário e passagem aérea. Um narcoteste resultou positivo para skunk. A doméstica recebeu então voz de prisão em flagrante e foi autuada por tráfico interestadual de drogas. Diana foi encaminhada à audiência de custódia, e está à disposição da Justiça Estadual. O Portal FolhaPE entrou em contato com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para saber o resultado da audiência.

Em interrogatório, a doméstica se limitou a informar que foi aliciada por uma mulher em Manaus. Ela afirmou que receberia R$ 1,5 mil pelo serviço e que, quando desembarcasse no Recife, faria uma conexão para Natal/RN. No desembarque ela entregaria a droga para uma pessoa que lhe identificaria pela cor da roupa. Por fim, Diana alegou que transportou a droga por dificuldades financeiras.

Segundo a PF, essa foi a nona apreensão de drogas no Aeroporto este ano. Até o momento 10 pessoas foram presas, sendo três homens e sete mulheres. Ao todo foram 60,2 quilos de cocaína e 30 quilos de skunkg apreendidos.

Veja também

Neurônios cansados podem provocar distorção na percepção do tempo
Ciência

Neurônios cansados podem provocar distorção na percepção do tempo

Governo decide situação de aulas presenciais do ensino básico até terça
Ensino básico

Governo decide situação de aulas presenciais do ensino básico até terça