É função de quem?

Mostra Outubro ou Nada é uma resposta à falta de iniciativa do poder público

Para ter onde ir Para ter onde ir  - Foto: YouTube/Reprodução

O descaso do poder público com o setor da cultura, em especial com as artes cênicas, tem gerado um fenômeno curioso em Pernambuco. Papéis que deveriam ser de responsabilidade dos governos municipais e estadual acabam abraçados por outros. Em Jaboatão dos Guararapes, onde o Cineteatro Samuel Campelo foi reinaugurado após uma longa espera, é a unidade local do Sesc que tem o cuidado de movimentar a cena. A programação da sala teatral, por exemplo, depende quase que totalmente da iniciativa da instituição, uma vez que a Prefeitura da Cidade afirma não ter recursos. No Recife, a falta de equipamentos culturais em pleno funcionamento fez com que os artistas passassem a pensar mais em espetáculos para espaços alternativos. Esse movimento acabou desencadeando a criação do Outubro ou Nada - Mostra de Teatro Alternativo do Recife, que será realizado até o final do mês. Se quem está no poder não faz o que deveria ser feito, há quem faça.

Livro > O jornalista Fernando Marques assina o livro “A província dos diamantes” (Grupo Autêntica, 352 páginas, R$ 54), reunião de textos escritos entre 1996 e 2015 e publicados, em sua maioria, em cadernos de cultura de jornais do País. Na publicação, o autor busca explicar ao leitor a distinção e a função dos procedimentos teatrais.

Comédia musical > A comédia musical “Forever young” chega à capital pernambucana, nos dias 26 e 27 de novembro. Claudia Ohana, Jarbas Homem de Mello, Carmo Dalla Vecchia, Paula Capovilla, Marcos Tumura e Rodrigo Miallaret interpretam ex-artistas que moram em um asilo, sob os cuidados de uma enfermeira, vivida por Fafy Siqueira. A montagem mostra um dia na vida desses idosos, que compartilham suas memórias ao som de hits do rock’n’roll. Veja aqui: http://bit.ly/2dtSmLM

LEITURAS > Amanhã, a Federação de Teatro de Pernambuco (Feteape) inicia um ciclo de leituras dramatizadas na Casa da Cultura. As apresentações ocorrem nas sexta-feiras de outubro, a partir das 17h. O primeiro texto será “A bandeira do soldado”. As próximas peças serão: “Zumbá, da princesa africana e do rio”, “A morte de Sócrates” e “As malditas”. A entrada é gratuita. Informações: (81) 98474-3927.adual acabam abraçados por outros. Em Jaboatão dos Guararapes, onde o Cineteatro Samuel Campelo foi reinaugurado após uma longa espera, é a unidade local do Sesc que tem o cuidado de movimentar a cena. A programação da sala teatral, por exemplo, depende quase que totalmente da iniciativa da instituição, uma vez que a Prefeitura da Cidade afirma não ter recursos. No Recife, a falta de equipamentos culturais em pleno funcionamento fez com que os artistas passassem a pensar mais em espetáculos para espaços alternativos. Esse movimento acabou desencadeando a criação do Outubro ou Nada - Mostra de Teatro Alternativo do Recife, que será realizado até o final do mês. Se quem está no poder não faz o que deveria ser feito, há quem faça.

Veja também

Pernambuco ganha centro para ajudar no isolamento de pacientes da Covid-19
Pandemia

Pernambuco ganha centro para ajudar no isolamento de pacientes da Covid-19

Em meio à pandemia, imagem de santa dá boas-vindas ao fiéis na entrada da Basílica do Carmo
padroeira do recife

Em meio à pandemia, imagem de santa dá boas-vindas ao fiéis na entrada da Basílica do Carmo