É Moro prendendo e o STF mandando soltar

O papel do Judiciário é cumprir a lei e não agradar a opinião pública, diz advogado Ademar Rigueira

Inaldo SampaioInaldo Sampaio - Foto: Colunista

Prisões supostamente ilegais decretadas em Curitiba pelo juiz Sérgio Moro deverão ser revogadas a partir de agora, sempre que houver provocação, por três dos cinco ministros da Segunda Turma do STF: Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. O primeiro foi indicado pelo ex-presidente FHC e os dois últimos por Dilma Rousseff. Logo, não há que se falar em “partidarização”. Seus membros entendem não ser justificável prisões provisórias por tempo indeterminado, decretadas pelo juiz da Lava Jato, e a partir de agora vão começar a revogá-las. Iniciaram na semana passada com a soltura do ex-assessor do PP, João Carlos Genu e do pecuarista José Carlos Bumlai e, ontem, do ex-ministro José Dirceu. A liberdade dessas pessoas pode até desagradar a maioria da população. Mas, segundo o advogado pernambucano Ademar Rigueira, o papel do Judiciário é cumprir a lei e não agradar a opinião pública.

O susto do homônimo
Semana passada, durante um seminário que o PSB fez no DF para os seus prefeitos, anunciou-se que um dos palestrantes seria Sílvio Costa. Muitos dos presentes torceram o nariz pensando tratar-se do deputado que é um dos maiores críticos do governo Paulo Câmara. E só relaxaram quando souberam que se tratava de um homônimo: um jornalista do “Congresso em Foco”.

Chuva > O DER iniciará hoje em Itapetim a reconstrução do trecho de estrada que liga a sede do município ao distrito de São Vicente. A promessa foi feita ontem ao prefeito Adelmo Moura (PSB) pelo diretor de operações e construção do órgão, Silvano Carvalho. De janeiro a abril deste ano, choveu no município 500 milímetros, deixando um saldo de 30 açudes arrombados.

Apelo >
A prefeita de Brejinho, Tânia Maria (PSB), tem audiência marcada hoje no Comando Militar do Nordeste. Vai pedir ao setor responsável pelo programa de carros-pipa que proíba a retirada de água de lá para cidades da Paraíba, onde choveu mais do que na própria Brejinho.

Baixa >
Foi do grupo político de Sarney o deputado federal José Reinaldo (MA), que se desligou ontem do PSB por discordar da decisão do partido de fechar questão contra as reformas trabalhista e da previdência. Antes de ser deputado, ele foi superintendente da Sudene, governador e ministro.

Avante! >
Vinte e sete anos após ter obtido registro no TSE, o PTdoB, ao qual pertence o deputado Sílvio Costa, trocou o nome para “Avante”. Estava incomodado com a “concorrência” do PTB, fundado há mais de 70 anos por Getúlio Vargas.

Formação >
Eduardo Portela, ministro da Educação do governo Figueiredo e membro da Academia Brasileira de Letras, que morreu ontem no RJ aos 79 anos, diplomou-se em Direito pela UFPE. Foi da mesma turma do ex-senador Marcos Freire e do ex-deputado Fernando Coelho (1955).

Elegância > Por elegância, o prefeito de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB), evita fazer críticas ao ex-interventor Mário Cavalcanti. Mas contou ontem no Recife que encontrou o município pendurado no CAUC (Cadastro Único de Convênios) e com os serviços públicos funcionando precariamente.

Veja também

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco
Coronavírus

"Tomem a vacina que a esperança não deixa de acabar", disse a primeira vacinada em Pernambuco

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco
Coronavírus

Momento histórico: vacina contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez em Pernambuco