Elza Soares grita pelas travestis, Marielle e Ágatha Félix no Rock in Rio

'É preciso acordar, lutar, ir para as ruas, aprender a votar', disse Elza durante o show, antes de cantar 'País dos Sonhos'

Elza Soares durante show no Rock in Rio 2019Elza Soares durante show no Rock in Rio 2019 - Foto: Reprodução / Instagram / rockinrio

Uma apresentação de Elza Soares já é poderosa por si só, mas sua presença no lineup de um megafestival como o Rock in Rio, com um disco recém-lançado e ao lado de cantores da nova geração parece deixar tudo ainda maior.

Em uma hora de show em um palco todo amarelo, neste domingo (28), a cantora carioca percorreu especialmente os últimos anos de sua carreira, período em que lançou os grandiosos "A Mulher do Fim do Mundo", de 2015, "Deus É Mulher", de 2018 e o mais recente, "Planeta Fome", deste mês.

Leia também
Foo Fighters faz melhor show no segundo dia do Rock in Rio
Drake leva rap ao topo do Rock in Rio pela primeira vez
Ivete defende liberdade sexual no Rock in Rio Lisboa
Álbum 'Planeta Fome', de Elza Soares, é lançado nas plataformas digitais


A mistura de sonoridade e letras fortes ganham novas roupagens ao vivo, mais eletrônicas e com batidas mais pesadas– e por vezes mais altas que a própria voz de Elza, que reclamou algumas vezes do som.

Tudo acompanhado pelo público grande e participativo do palco Sunset, que seguiu gritos de "viva as travestis" puxados na participação de As Bahias e A Cozinha Mineira em "Se Acaso Você Chegasse". Também respondeu com "não é não" quando Elza antecipou "Maria da Vila Matilde" declarando que "gemer agora só de prazer".

"A gente vive num país de sonho. Esse povo sofrido que sonha com um lugar melhor para viver. É preciso acordar, lutar, ir para as ruas, aprender a votar", disse Elza antes de cantar "País dos Sonhos". "Nós não sabemos votar, precisamos aprender. Esse Rio de Janeiro acabado, completamente distorcido", completou, seguida de gritos da plateia contra o presidente Jair Bolsonaro.

Ela ainda citou os nomes de Ágatha Félix, Marielle Franco e Evaldo Rosa dos Santos.
No show com mais participações especiais do Rock in Rio até agora, a carioca ainda chamou ao palco o rapper Edgar, que a acompanhou em "Chega", Jessica Ellen e Rafael Mike em "A Carne", e Kell Smith.

A mistura com novos artistas não é atípica para Elza, que acompanha de perto a nova música brasileira. Seus últimos discos têm envolvimento de uma lista enorme de nomes de destaque, como Tulipa Ruiz, Russo Passapusso, BNegão, Mariá Portugal, Kiko Dinucci, Guilherme Kastrup, Romulo Fróes e Caio Prado, para citar alguns. A cantora terminou a apresentação cantando "Volta por Cima" ao lado de seus convidados, com um "eu não vou sucumbir" no telão e declarações de amor da plateia.

Veja também

Confira a previsão do tempo para esta quarta (21) em Pernambuco
TEMPO

Confira a previsão do tempo para esta quarta (21) em Pernambuco

Ministério da Saúde fecha acordo com governo de SP para compra de 46 milhões de doses da Coronavac
Coronavírus

Ministério fecha acordo para 46 mi de doses da Coronovac e diz que vacina entra no calendário nacional