‘Em 33 anos só me deu alegria’, relata pai de jogador assassinado em Camaragibe

Ele relembra o quão batalhador era o filho e lamenta a sua morte. O ex-jogador será enterrado no fim da tarde desta quinta-feira (22), no Cemitério Municipal de Camaragibe

Leandro teve passagem por vários clubes de futebol do Nordeste entre os anos de 2009 a 2014Leandro teve passagem por vários clubes de futebol do Nordeste entre os anos de 2009 a 2014 - Foto: Divulgação

A dor de um pai que perdeu seu filho é incompreensível. Tentar entendê-la é o mesmo que decifrar o indecifrável. Esse é o sentimento que permeia o funcionário público Benedito da Silva Barros que presenciou o momento do assassinato do próprio filho Leandro Gama Barros, na noite da quarta-feira (21), no município de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

Popularmente conhecido como Léo Gama, o ex-jogador estava saindo de casa quando foi surpreendido por dois homens em um carro que lançaram contra ele disparos de arma de fogo. Ele relembra o quão batalhador era o filho e lamenta a sua morte. “O Gama em 33 anos só me deu alegria. Foi jogador profissional, não tinha envolvimento com nada de drogas. Entrou na faculdade e em dezembro de 2018 se formou em educação física [...] A rotina dele era largar da faculdade e ir pra academia - onde trabalhava. Ele passava bastante tempo lá em casa [...] Durante todos esses 33 anos só me deu alegria. O único dia de tristeza foi ontem”, relembra e lamenta Benedito.

Leia também:
Ex-jogador é morto a tiros dentro do próprio carro em Camaragibe
Ex-presidiário é morto a tiros em conjunto habitacional no Recife

O funcionário público presenciou a morte do filho. “O cara matou ele em cima de mim, praticamente. O rapaz nem parou o carro, já chegou disparando a arma contra ele. Ele estava saindo para dar as aulas particulares dele”, lamenta. Atualmente, Léo Gama estava fora dos campos. Em Pernambuco, defendeu América, Salgueiro e Pesqueira.

A relação de Léo com os colegas e moradores era bastante calma, acrescenta o pai. “Ele não tinha inimizades. Era muito calmo. Todo mundo sempre deu boas informações e referências sobre ele. Porquê aconteceu, infelizmente, eu não entendo”, conta o pai.

Formado em Educação Física, Léo costumava dar aulas em uma academia privada de Camaragibe. O pai, muito atento, esperava, corriqueiramente, pela volta e visita do filho em sua residência. “Ele sempre vinha me visitar aqui em casa. Os únicos dias que não dava para ele vir era quando largava tarde. Mas, quando largava cedo vinha me ver. Eu sempre esperava por ele”, pontua.

Enterro
O corpo do jogador foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, área central do Recife. O enterro está marcado para o fim da tarde desta quinta-feira (22), no Cemitério Municipal de Camaragibe. Ainda não há informações sobre quem estaria envolvido no caso. A 10ª Delegacia de Polícia e Homicídios segue investigando o caso.

Veja também

Doria anuncia que São Paulo receberá 5 milhões de doses de CoronaVac
Coronavírus

Doria anuncia que São Paulo receberá 5 milhões de doses de CoronaVac

Semana Nacional do Trânsito 2020: Detran-PE realiza ação em Porto de Galinhas
Trânsito

Semana Nacional do Trânsito 2020: Detran-PE realiza ação em Porto de Galinhas