PREVENÇÃO

Municípios desenvolvem ações de combate às arboviroses

O foco do combate será onde o mosquito cresce e se desenvolve, que são onde há acúmulo de águas, como jarros, vasos, propiciando assim a reprodução do agente transmissor

A ação também será realizada dentro das casas dos moradoresA ação também será realizada dentro das casas dos moradores - Foto: Divulgação/ Paulista

Com o acúmulo de água causado pelas últimas chuvas, algumas autoridades estão em alerta e desenvolvendo campanhas para o combate aos focos das arboviroses. As doenças como dengue, zika e chikungunya, em sua maioria são causadas pelo mosquito Aeds Aegypti. Ações de limpeza, desenvolvidas pela secretaria de Saúde de Olinda, para combate ao foco do mosquito serão realizadas, nesta quinta-feira (2), às 8h30.  A iniciativa segue até a sexta-feira (3), em mutirão na rua Francisco Gomes, Córrego do Abacaxi, no bairro de Caixa D'Água.

O foco da ação é onde o mosquito cresce e se desenvolve - em locais de acúmulo de águas da chuva, em jarros, vasos e recipientes. Mas os agentes também irão realizar uma orientação, com fins educativos em Olinda. Serão 20 profissionais, entre supervisores e Agentes Comunitários de Endemias. Os agente irão orientar aos moradores em como evitar possíveis focos do mosquito. De casa em casa, o serviço será desenvolvido sob a coordenação do Centro de Vigilância Ambiental (CEVAO) de Olinda.

Já em Paulista, a pasta da Saúde e a Secretaria Executiva de Serviços Públicos firmaram parceria em uma ação integrada contra a dengue e as outras arboviroses. Nesta quarta-feira (1), os Agentes de Combate às Endemias (ACEs) atuaram ao lado de trabalhadores da manutenção da cidade. Enquanto os ACEs checavam possíveis focos, nas residências, o outro grupo seguia no trabalho de limpeza, capinação e retirada de entulhos de toda a via. Ação integrada de limpeza urbana, deve acontecer também em outros locais da cidade, onde houve aumento no número de casos de arboviroses. Ao todo, foram envolvidos 15 servidores públicos na iniciativa.

“Estamos com uma equipe da Vigilância Ambiental para orientar as pessoas sobre as medidas preventivas que evitam a proliferação do mosquito. Nesta área, nós temos uma equipe de cinco agentes que estão refazendo todo o ciclo de atendimento do programa de controle às endemias”, afirmou em comunicado oficial à imprensa, o superintendente de vigilância em Saúde do Paulista, Fábio Diogo.

"Aqui em casa estamos sempre atento quanto às medidas que nos previnem do mosquito. Não deixamos água parada e é importante que todos fiquem atentos para isso também, porque se um deixar de fazer sua parte, a rua inteira fica vulnerável", disse o aposentado, Fernando Lídio, 60 anos.

Já na capital do estado, Recife, conforme apresentado no boletim epidemiológico de arboviroses da Secretaria de Saúde do Recife (Sesau), de 29 de dezembro de 2019 até o dia 30 de maio deste ano, foram notificados 695 casos de arboviroses. Destes, foram confirmados 207 casos de dengue e 46 de chikungunya. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve redução de 73,6% dos casos notificado e de 81,1% dos casos confirmados.

Veja também

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise
Coronavírus

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise

Governo federal investe em nova fábrica de vacinas da Fiocruz

Governo federal investe em nova fábrica de vacinas da Fiocruz