Em Barreiros, estudantes estão sem transporte há mais de uma semana

Serviço mantido pela prefeitura da cidade realiza a condução de universitários que estudam no Recife

Alita: Anjo de CombateAlita: Anjo de Combate - Foto: Fox Film do Brasil/Divulgação

Cerca de 250 estudantes universitários da cidade de Barreiros, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, estão sem transporte para frequentar as aulas no Recife desde o último dia 3 de outubro. O serviço é mantido pela prefeitura da cidade e também atende alunos que estudam em cidades vizinhas, como Ipojuca e Palmares, mas, nessas cidades, o transporte foi mantido. Os estudantes afirmam que não foram notificados da suspensão do serviço e que foram pegos de surpresa.

Para dar visibilidade ao ocorrido e reivindicar uma resposta do poder público, os estudantes realizaram diversos protestos na semana passada, reunindo cerca de 300 pessoas nas ruas da cidade. Na ocasião, eles procuraram a Prefeitura, o Ministério Público, o juiz que atende na cidade e a Câmara de Vereadores, mas não obtiveram nenhum posicionamento sobre a suspensão ou retorno do serviço de transporte. As autoridades também não prestaram nenhuma orientação sobre como proceder quanto ao ocorrido, segundo informa um dos alunos prejudicados, o estudante de Direito Eduardo Maciel, 45.

“A prefeitura não se pronunciou em nenhum momento. Chegamos ao local de pegar o transporte e a informação que os motoristas nos passaram foi a de que nenhum ônibus deveria deixar a garagem. Ligamos para o chefe do transporte e ele deu a mesma informação”, conta Eduardo. Ainda segundo ele, a informação extraoficial que os estudantes receberam foi a de que deveriam pedir transporte para o prefeito que fora eleito no dia anterior. O atual prefeito, Carlos Artur Soares de Avellar Júnior, também conhecido como Carlinhos da Pedreira, não foi reeleito.

Atualmente, muitas faculdades realizam as semanas de provas e, para não perder as aulas, alguns estudantes estão custeando o transporte para o Recife, mas a maioria não tem condições financeiras de arcar com esse custo. “Muitos de nós só estudam por causa de programas como o Prouni e Fies, e quem for reprovado perde a bolsa. Com os cortes na Educação do Governo Federal, não teremos como pleitear uma nova bolsa se perdermos essa”, explica ainda Eduardo. Segundo ele, quem perder essas provas terá que pagar do próprio bolso a segunda chamada, e cada prova pode custar até R$ 50.

Procurado pela reportagem do Portal FolhaPE, o prefeito de Barreiros, explicou que a situação que atingiu os estudantes também o pegou desprevenido. Segundo ele, as pessoas que faziam o transporte regular no município abandonaram o serviço na mesma segunda-feira, então os ônibus que transportavam os universitários foram remanejados para atender aos moradores locais, que é um serviço obrigatório.

Segundo Carlinhos da Pedreira, o serviço será restabelecido a partir desta quinta-feira (13), mas em horário diferente do habitual e com menos veículos. O número de ônibus passa de três para dois, e o horário de saída, que era às 14h30, passa a ser após às 17h, quando os veículos terminarem suas jornadas no município. “Estamos tentando resolver essa situação da melhor maneira, não quero ver ninguém sofrendo.” O prefeito também afirmou que em nenhum momento foi procurado pelos estudantes e que todos têm o número do seu celular.

Veja também

Instituto Butantan diz se espantar com fala de Bolsonaro sobre não comprar 'vacina chinesa'
Coronavírus

Instituto Butantan diz se espantar com fala de Bolsonaro sobre não comprar 'vacina chinesa'

Marcos Pontes exalta vacinas brasileiras e minimiza polêmica sobre a CoronaVac
Coronavírus

Marcos Pontes exalta vacinas brasileiras e minimiza polêmica sobre a CoronaVac