Em Pernambuco, setor de avicultura estima prejuízo diário de R$ 5 milhões

De acordo com o vice-presidente da abastecimento da Avipe, Josimário Florêncio, entre os problemas, está a falta de ração para as aves e o estoque de ovos, que não estão sendo transportados para os pontos de venda

A Marfrig vendeu a unidade de frango da Keystone por US$ 2,4 bilhões para a Tyson FoodsA Marfrig vendeu a unidade de frango da Keystone por US$ 2,4 bilhões para a Tyson Foods - Foto: Arquivo/Agência Brasil

O setor de avicultura em Pernambuco calcula prejuízo de R$ 5 milhões por dia desde o início da paralisação dos caminhoneiros, no dia 21 deste mês. De acordo com a Associação Avícola de Pernambuco (Avipe), o número pode aumentar para R$ 7 milhões caso o abastecimento não normalize.

De acordo com o vice-presidente da abastecimento da Avipe, Josimário Florêncio, entre os problemas, está a falta de ração para as aves e a retenção do estoque de ovos, que não estão sendo transportados para os pontos de venda devido à falta de combustível.

Leia também:
Justiça determina liberação de bloqueios na BR-101 e em Suape
Prejuízos no campo: leite, suínos e aves são os mais fragilizados, diz Cepea
Vale do São Francisco contabiliza prejuízo de mais de R$ 500 milhões


Além disso, o vice-presidente alega que os pintos recém-nascidos estão sendo sacrificados porque não há transporte para levá-los dos incubatórios até as granjas.

Ainda segundo a associação, as aves vão levar de quatro a seis meses para se recuperar após a normalização da produção. Já o frango de corte, o destinado ao consumo, leva de 30 a 60 dias.

Veja também

Neonazista é condenado à prisão perpétua na Alemanha por morte de político pró-migração
Julgamento

Neonazista é condenado à prisão perpétua na Alemanha por morte de político pró-migração

Desemprego chega a 14,1% entre setembro e novembro de 2020
Economia

Desemprego chega a 14,1% entre setembro e novembro de 2020