Embaixada recomenda que chineses que viajaram ao Brasil fiquem em quarentena em casa

O objetivo é impedir uma possível disseminação do coronavírus

A China confirmou a transmissão de humano para humano no surto de um novo vírus do tipo SARSA China confirmou a transmissão de humano para humano no surto de um novo vírus do tipo SARS - Foto: Mohd Rasfan / AFP

A Embaixada da China afirmou nesta sexta-feira (31) que está recomendando que cidadãos chineses que viajaram ao seu país recentemente devem ficar em quarentena em suas casas durante duas semanas ao retornar ao Brasil. O objetivo é impedir uma possível disseminação do coronavírus.

"Estamos recomendando que todos os passageiros e cidadãos vindos recentemente da China fiquem em quarentena observando seu estado de saúde, se tiver febre recomendamos que vão aos hospitais indicados pelo ministério", afirmou o ministro Song Yang, encarregado de negócios da embaixada.

Ainda não há casos confirmados da doença no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, há, nesta sexta (31), 12 casos suspeitos da doença sendo analisados.

Leia também:
Bolsonaro lista dificuldades para trazer brasileiros da China
Coronavírus ainda não afetou exportadores brasileiros, diz secretário


A embaixada também afirmou que recomenda que os brasileiros que estão na região afetada pela doença permaneçam na China.

"Os cidadãos brasileiros não estão em prisão domiciliar, eles estão tomando medidas de quarentena, mas não estão isolados. Eles vão ser tratados como nossos irmãos e irmãs", afirmou Yang, que disse que a China respeitará uma decisão de evacuação de cidadão, mas que o país tem "determinação e capacidade" para combater o vírus e cuidar de estrangeiros no país.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta que o governo só vai evacuar brasileiros que estão no epicentro do surto de coronavírus na China depois que forem tomadas as providências que garantam a proteção da população no Brasil, entre elas a garantia de que os cidadãos retornados passarão por uma quarentena.

A embaixada afirmou ainda que é "cedo para ter conclusão" sobre impactos da epidemia na economia chinesa, e que não teve nenhum aviso do governo brasileiro sobre restrição de importações até o momento.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, há quase 10.000 casos confirmados de coronavírus no mundo, a enorme maioria na China. Até agora, já houveram 258 mortes e 218 casos de cura.

Veja também

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia
Coronavírus

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio
Coronavírus

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio