Embarcações são naufragadas na costa do Recife

Eles vão se tornar recifes artificiais, muito importantes para a reprodução marinha

Naufrágio na costa recifenseNaufrágio na costa recifense - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Os rebocadores Bellatrix, Phoenix e São José saíram do cais seis do Porto do Recife, na manhã desta quarta-feira (8) para serem afundados e se tornarem recifes artificiais, muito importantes para a reprodução marinha. Com esses, são 18 naufrágios que integram o Parque Artificial de Naufrágios de Pernambuco, que abrange Recife, Olinda e Paulista.

Essa iniciativa faz parte do Projeto Mergulhe Pernambuco, lançado há dois anos para divulgar o turismo de mergulho. A previsão é de que os barcos estejam completamente naufragados após 2h de operação, que consiste em soltar válvulas para que a vazão da água ajude-os a naufragar.

A operação será simultânea. Os Bellatrix e Phoenix estavam inutilizados há cinco anos, e o São José, há nove anos. Haverá um quarto barco, o último a naufragar, denominado Virgo, que foi doado pela empresa referência em mergulho, a Aquáticos. Ele irá separadamente e afundará a 11 km da costa, próximo ao rebocador Taurus, naufragado em 2006. Os três primeiros, comprados pelo Governo do Estado, vão ficar a 28m de profundidade e o Virgo a 25m.



Veja também

Dificuldade de rastreamento afeta metade do arsenal de armas no Brasil
ARMAS

Dificuldade de rastreamento afeta metade do arsenal de armas no Brasil

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais
Folha Pet

Hyundai e Petz fazem parceria para incentivar adoção responsável de animais