Enem 2020

Avaliação terá menos participantes por sala devido à pandemia

Objetivo é evitar risco de contaminação

EstudantesEstudantes - Foto: Agência Educa Mais Brasil

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 contará com 700 mil inscritos a mais, comparado à edição de 2019. Diante do aumento no número de participantes em meio à pandemia do novo coronavírus, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) anunciou que aumentará a quantidade de locais de provas do exame, como medida para comportar todos os participantes respeitando as regras sanitárias contra o vírus.

Um dos métodos de organização utilizado pelo Inep será a redução do número de participantes por sala, a fim de garantir o distanciamento exigido pelas autoridades de saúde. Para isso, o Órgão vai contar com o auxílio das prefeituras para que as equipes de segurança possam dar suporte nos procedimentos de acesso aos locais de prova, para evitar aglomerações.

Além disso, foi solicitado aos estados e municípios que evitem a realização de outros eventos de grande porte nos dias de aplicação do Enem e garantam a infraestrutura necessária para que os participantes cheguem aos locais de provas.

As medidas foram comunicadas pelo Inep no Encontro para Capacitação de Logística e Segurança do Enem 2020, realizado por videoconferência nesta terça-feira, 27 de outubro, com a participação de representantes das instituições envolvidas na operação para aplicação das provas na região Sudeste.

As provas impressas da edição 2020 do Enem estão marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021. Já as provas digitais serão aplicadas em 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021. Ao todo, são 5,6 milhões de inscritos.

Veja também

Para forçar volta à escola, MEC resiste em homologar permissão de aula remota até fim de 2021
educação

Para forçar volta à escola, MEC resiste em homologar permissão de aula remota até fim de 2021

Bolsonaro nega que chamou Covid-19 de 'gripezinha' após ter usado o termo em pronunciamento oficial
Brasil

Bolsonaro nega que chamou Covid-19 de 'gripezinha' após ter usado o termo em pronunciamento oficial