Enem começa hoje para 8,6 milhões de estudantes

No Recife, portões abriram às 11h e fecham ao meio-dia. A aplicação do exame começa 30 minutos após o fechamento dos portões

Silvio Costa Filho (PRB) é o líder da Oposição na Assembleia LegislativaSilvio Costa Filho (PRB) é o líder da Oposição na Assembleia Legislativa - Foto: Henrique Genecy/Alepe

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começam, neste sábado (5), para os 8,6 milhões de inscritos no País. No Recife, os portões abriram às 11h e vão fechar ao meio-dia. A aplicação do exame começa 30 minutos após o fechamento dos portões.

Na Universidade Católica de Pernambuco, localizada na área Central da capital pernambucana, os estudantes relataram o desejo de igualdade nas provas. Analice Magno, que faz o primeiro Enem para o curso de psicologia, relatou que um mês a mais nos estudos faz muita diferença. "Não acho justo. Todo mundo deveria fazer em uma mesma data. Quem vai fazer em dezembro vai ter um mês a mais para estudar e um mês é muito tempo. Para mim, isso é uma forma de colocar os estudantes contra os próprios estudantes que estão ocupando as escolas", comentou.

Anderson Santana tenta o Enem, pela segunda vez, para o curso de publicidade. Para ele, as provas diferentes podem favorecer um grupo de estudantes. "O que a gente quer é igualdade, que todo mundo fizesse no mesmo dia. Pode ser que alguém seja prejudicado ou tenha vantagem", comentou. O trânsito nas imediações da Unicap segue intenso e os estudantes devem ficar atentos no horário.

Neste primeiro dia, os estudantes vão responder a 90 questões de ciências humanas (geografia, história, filosofia, sociologia e conhecimentos gerais) e ciências da natureza (química, física e biologia). Os candidatos terão quatro horas e 30 minutos para concluir as provas. Para fazer a prova é fundamental apresentar documento de identidade original com foto e usar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada com material transparente.

É proibido o uso de celular ou qualquer aparelho eletrônico durante as provas. Os aparelhos terão de ser colocados em um porta-objetos com lacre, que deverá ficar embaixo da cadeira até o fim das provas. O candidato também não poderá usar lápis, lapiseira, borrachas, livros, manuais, impressos, anotações, óculos escuros, boné, chapéu, gorro e similares e portar armas de qualquer espécie, mesmo com documento de porte. Se estiver com um desses objetos, eles deverão ser colocados no porta-objetos.

Para enfrentar as longas horas de prova, o candidato poderá levar água e comida. Neste ano, pela primeira vez, haverá identificação biométrica dos estudantes. O objetivo é prevenir fraudes. As impressões digitais serão colhidas durante as provas.

O aluno poderá deixar o local após duas horas do início da prova. Só é possível sair com o caderno de questões nos últimos 30 minutos antes do fim das provas. Caso descumpra qualquer uma dessas regras, será eliminado. O Ministério da Educação adiou para os dias 3 e 4 de dezembro as provas dos candidatos que fariam o exame em prédios ocupados por estudantes.

 

Veja também

Apesar de pressão, sindicatos de professores não conseguem impedir reabertura de escolas no País
Educação

Apesar de pressão, sindicatos de professores não conseguem impedir reabertura de escolas no País

Letalidade da Covid-19 no Brasil está em torno de 3%
Coronavírus

Com quase 137 mil mortos pela Covid-19, Brasil tem taxa de letalidade em torno de 3%