Ensino integral terá mais vagas do que o regular

Fato inédito é possível por causa do acréscimo de 38 novas unidades do gênero no Estado, das quais duas oferecerão dois turnos

O evento é uma vitrine para o setor canavieiro, que produziu 620.408 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, em todo o Pais, na safra 2018/2019O evento é uma vitrine para o setor canavieiro, que produziu 620.408 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, em todo o Pais, na safra 2018/2019 - Foto: Divulgação

O que marcou Pernambuco como referência nacional em educação neste ano vem com novidades para 2017: será o primeiro ano em que a quantidade de matrículas nas escolas em tempo integral vai superar a das unidades regulares no Estado. Com 38 novas escolas com horário estendido anunciadas ontem pelo Ministério da Educação (MEC), em conjunto com a Secretaria de Educação, Pernambuco antecipa a meta do Plano Nacional de Educação (PNE), para 2024, de ter 50% das matrículas do Estado em escolas integrais.

O secretário da pasta, Fred Amâncio, também deixou para o próximo ano a implantação em duas escolas, Igarassu e Paulista, do projeto piloto que oferece dois turnos de aulas semi-integral (35 horas por semana), aplicado pela primeira vez em Olinda, na Erem Padre Francisco Carneiro, em Águas Compridas. Atualmente, os estudantes pernambucanos contam com 335 escolas integrais e semi-integrais.

Mendonça Filho assinou, na ocasião, o documento de liberação do total de R$ 243,6 milhões para o Estado. O montante será distribuído para as escolas em tempo integral (R$ 79,1 milhões); MédioTec, projeto que alia ensino técnico profissionalizante ao ensino médio (R$ 31, 9 milhões); obras de ação básica em creches, quadras, equipamentos e mobiliário (R$ 41,5 milhões); e adiantamento do Fundeb, que complementa piso salarial dos professores (R$ 56,1 milhões em 2016 e R$ 68,9 em 2017).

O valor ainda inclui R$ 125 mil para a UPE. “Quem não presta para sua terra, não presta para a terra de ninguém”, afirmou o ministro, que é natural do Recife, sobre a atenção dada à educação pernambucana, frequentemente visitada pela equipe da pasta desde que o começo do governo Temer.
Serão investidos R$ 79 milhões em 36 escolas (as outras duas têm financiamento exclusivo da pasta estadual) em 27 municípios escolhidos em função da região e outras características pelo MEC. No total, 7,8 mil vagas serão oferecidas. O projeto não prevê construções de novas escolas, mas conversão das que existem para o horário integral.

Das 36, sete eram semi-integrais e funcionavam no regime de 35 horas semanais. As integrais são baseadas em 45 horas por semana, enquanto as regulares têm regime de 20 horas semanais. Serão 7,8 mil vagas oferecidas em escolas de 27 municípios, com investimento de R$ 79 milhões aplicados por três anos a partir de 2017. Segundo o secretário Fred Amâncio, as escolas Estadual de Paulista, em Paulista, e Brasilino José de Carvalho, em Igarassu, terão dois turnos, um das 7h às 14h e o outro das 14h às 20h40. 

Veja também

Secretário de Saúde de Pernambuco critica entraves diplomáticos que afetam vacinação no Brasil
Covid-19

Longo critica entraves diplomáticos à vacina: "Não podem colocar em xeque a saúde dos brasileiros"

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões
Economia

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões