Enterro de vítimas do deslizamento emociona amigos e parentes

A tragédia aconteceu no bairro de Dois Unidos, na véspera do Natal, e vitimou fatalmente sete pessoas

Familiares e amigos se despediram da avó e neta perdidas no soterramento na véspera de NatalFamiliares e amigos se despediram da avó e neta perdidas no soterramento na véspera de Natal - Foto: José Britto/ Folha de Pernambuco

Os corpos de Lucimar Alves, 50, e Daffyne Kauane Alves, 9, vítimas do deslizamento de barreira no Córrego do Morcego, em Dois Unidos, foram sepultados na manhã desta quarta-feira (25), no cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife. O velório foi acompanhado por familiares e amigos que, bastante comovidos, se despediram da avó e neta perdidas em soterramento na véspera do Natal.

A irmã de Lucimar, Cristina Gomes da Silva, que sobreviveu ao acidente, foi liberada do Hospital da Restauração e acompanhou a despedida, ainda com algumas marcas do acidente no rosto e nos braços. Em todo momento, ela foi amparada pelos filhos e sobrinhos. Um deles falou que já estava tudo pronto para a celebração do Natal. “A gente ia se reunir na casa dela (Lucimar). Já estávamos com tudo separado. A família é grande e é sempre festa”, disse o sobrinho da vítima, Adriano Araújo, de 31 anos.

O viúvo, Otoniel Simião da Silva, de 57 anos, dormia com a esposa no momento do acidente. Ele, que foi levado para a UPA de Nova Descoberta e depois liberado com ferimentos leves, disse ter perdido uma mulher exemplar. “Ela era uma mãe e avó incrível. Perdi uma grande esposa, que eu estava casado há oito anos e sempre morando naquela mesma casa. Só me lembro do tumulto acontecendo e eu sendo resgatado até saber que não tinha mais ele e nem a netinha”, disse, também reforçando: “já houve um deslizamento como esse e nada foi feito. Se não tomarem providências, ocorrerá de novo”.

Por lá, o avô materno de Daffyne contou que estava trabalhando no bairro de Aguazinha, em Olinda, quando soube do acidente. "Recebi a notícia e fiquei desesperado. Perdi a minha única neta", disse Aldemir dos Santos, de 42 anos. Abalada, a mãe da menina não conseguiu acompanhar o velório. O pai da pequena e filho de Lucimar, o vendedor Jean Pierre, também precisou ser amparado pelos familiares. No fechamento do caixão, os presentes cantaram e fizeram orações. Aplausos e muita comoção acompanharam a despedida.

Leia também:
Governo espera dar respostas conclusivas sobre deslizamento em Dois Unidos em 15 dias
Deslizamento deixa sete mortos em Dois Unidos

Ainda nesta quarta-feira, às 15h, acontecerá, também no cemitério de Santo Amaro, o enterro de Cláudia Bezerra, de 47 anos, mais uma vítima fatal da tragédia. Ela estava com Lia de Oliveira, 45, cujo o corpo foi liberado nesta quarta (25) do Instituto Médico Legal (IML). Familiares farão o translado para o estado do Maranhão, onde ela nasceu.

Enterros
Também foram sepultados nesta manhã de quarta (25), os corpos de Érika Virgínia, 19, e seu filho, o pequeno Érick Júnior, no município de Palmares, na Zona da Mata Sul. Já o pai do menino e marido de Érika, Emanuel Henrique de França, 25, foi enterrado na tarde terça (25), no cemitério de Santo Amaro.

O cortejo do enterro da avó Lucimar Alves e da neta Daffyne Kauane Alves foi acompanhado com emoção pela família e amigos

O cortejo do enterro da avó Lucimar Alves e da neta Daffyne Kauane Alves foi acompanhado com emoção pela família e amigos - Crédito: José Britto/ Folha de Pernambuco

 

Veja também

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia
Coronavírus

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio
Coronavírus

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio