Enterro do piloto Daniel Galvão será no cemitério de Santo Amaro

Família vela o corpo em local próximo ao cemitério no Recife; Daniel foi uma das vítimas fatais do acidente com o Globocop em Brasília Teimosa

Velório do piloto Daniel GalvãoVelório do piloto Daniel Galvão - Foto: Gustavo Glória/Folha de Pernambuco

A família do piloto Daniel Galvão, 35 anos, vítima do acidente com o Globocop na Zona Sul do Recife na manhã desta terça-feira (23), espera a chegada de um irmão dele da Inglaterra e da mãe e das tias, de Petrolina, no Sertão, para realizar o funeral dele. O corpo do piloto está sendo velado desde as 17h desta terça, no velório Maria Tereza, em Santo Amaro, área central da capital. O enterro está marcado para as 11h da quarta-feira (23), no Cemitério de Santo Amaro.

Apaixonado pela aviação e com o sonho de ser piloto, o jovem recifense que era naturalizado americano, tirou sua licença de voo comercial de helicóptero em 2011, nos Estados Unidos. Ele tinha mais de 1.300 horas de voo e estava há dez anos na empresa Helisae Helicópteros, responsável pela aeronave da queda.

Ele era casado há cerca de um ano com a médica Isabela Fonseca e não tinha filhos. A tia de Daniel é a empresária Socorro Cavalcanti, proprietária do Petrolina Palace Hotel. 

“Eu tive a oportunidade de fazer um voo com ele, dominava a máquina perfeitamente. Ele tinha experiência. Veio de Miami até São Paulo trazendo o helicóptero de um empresário”, declarou Roberto Galvão, tio paterno do piloto.

Leia também:
Helicóptero da Rede Globo cai no Recife; veja vídeo
Moradores dizem ter visto ave atingir helicóptero da Globo
[Galeria] Confira imagens da queda do helicóptero da Globo no Recife
[Vídeo] PF assumirá investigação de queda de helicóptero da Globo no Recife
Sobrevivente de queda de helicóptero tem quadro grave porém estável
Destroços de helicóptero da Globo são localizados
Globo lamenta queda de helicóptero e declara solidariedade às famílias
Bombeiros usam boias para fazer peças do helicóptero flutuarem
Sargento Lia estava no helicóptero a convite da Helisae


Entenda o acidente
O helicóptero da Helisae Helicópteros do Nordeste - terceirizada que opera o Globocop, da TV Globo - fazia imagens para a emissora quando caiu, às 6h05 desta terça-feira (23), na praia de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife. Três pessoas estavam na aeronave.

O comandante Daniel Galvão, de 35 anos, morreu na hora. A controladora de tráfego aéreo sargento Lia Maria Abreu de Souza, de 34 anos - que viajava a convite da Helisae, não estava a serviço da Aeronáutica - chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Sobreviveu apenas o operador de transmissão Miguel Brendo Pontes Simões, de 21 anos, foi socorrido e está em estado grave no Hospital da Restauração (HR). Saiba mais sobre as vítimas e o estado de saúde do sobrevivente.

Moradores dizem ter visto uma ave atingir helicóptero da Globo. A investigação sobre o caso será conduzida pela Polícia Federal. Em nota, a TV Globo lamentou o ocorrido e se solidarizou com as vítimas.

Veja também

Cientistas advertem que particulas do coronavírus no ar podem ser infecciosas
Alerta

Cientistas advertem que particulas do coronavírus no ar podem ser infecciosas

Ministério Público da Bolívia pede prisão de Evo por terrorismo

Ministério Público da Bolívia pede prisão de Evo por terrorismo