América latina

Equador declara estado de exceção por causa da violência e do narcotráfico

"As Forças Armadas serão sentidas com força", afirmou o presidente

Guillermo LassoGuillermo Lasso - Foto: Assembleia Nacional do Equadro / AFP

O presidente do Equador, Guillermo Lasso, anunciou que o país está em estado de exceção e que as Forças Armadas sairão às ruas para velar pela segurança dos cidadãos. "As Forças Armadas serão sentidas com força", afirmou, em cadeia nacional de TV na noite desta segunda-feira (18).

A princípio a medida será válida por 60 dias. No começo da noite, Lasso ainda nomeou um novo ministro da Defesa, Luis Hernández, para o lugar de Fernando Donoso, que havia renunciado pela manhã.

O presidente afirmou que as mudanças se davam em nome do combate ao narcotráfico e o combate à violência.

Segundo ele, a pasta da Defesa apresentaria um plano de reforma das Forças Armadas, com o objetivo de que a luta contra a violência seja "mais forte, sólida e comprometida".
 


O Equador vive uma crise de motins em prisões, com a mais recente rebelião, no final de setembro, tendo terminado com um saldo de 118 mortos.

A essa crise se soma a aparição do próprio Lasso no caso Pandora Papers. O Congresso do Equador aprovou no último dia 10 abertura de investigação para apurar se o presidente agiu ilegalmente ao manter dinheiro em paraísos fiscais, conforme revelado pela série de reportagens do ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos).

Veja também

Mundo tem mais de três milhões de casos diários de Covid-19Pandemia

Mundo tem mais de três milhões de casos diários de Covid-19

Anvisa pode liberar Coronavac para crianças nesta quinta (20); Pernambuco tem 150 mil dosesVacinação

Anvisa pode liberar Coronavac para crianças nesta quinta (20); Pernambuco tem 150 mil doses