A-A+

Equívocos cometidos pelo PSB fortaleceram a Oposição

O mais grave erro do PSB foi a instauração de processo de expulsão contra o ministro Fernando Filho

Inaldo SampaioInaldo Sampaio - Foto: Colunista

O governador Paulo Câmara ainda é forte candidato à reeleição por ter um exército com mais de 100 prefeitos, 70 dos quais do PSB, além da grande maioria dos deputados federais e estaduais. Além disso, chefia um governo sem escândalos e passa à opinião pública a imagem de um gestor sereno, moderno e equilibrado, que não fala mal dos adversários, mesmo que às vezes eles mereçam. Nada obstante, cometeu erros políticos que fortaleceram a Oposição. O primeiro foi retirar das mãos de Raquel Lyra o controle do PSB de Caruaru para entregá-lo a Laura Gomes. Raquel migrou para o PSDB junto com o pai, João Lyra, ex-governador, e hoje é a prefeita do município. O segundo foi excluir o PSDB e o DEM do secretariado porque esses partidos lançaram chapa própria à prefeitura do Recife. Com isto, empurrou os deputados (e depois ministros) Bruno Araújo e Mendonça Filho para a Oposição. O terceiro e mais grave de todos foi aprovar a instauração, pelo PSB nacional, de um processo ético-disciplinar contra o deputado Fernando Filho por ter votado a favor da reforma trabalhista. Isto também empurrou o senador Fernando Bezerra Coelho para a oposição, levando a tiracolo a prefeitura de Petrolina que é a mais importante do Sertão.

Movimento contrário
A única conquista que o PSB obteve nos últimos 12 meses, visando à reeleição de Paulo Câmara, foi a adesão do PSL do ex-deputado Luciano Bivar. Para isto, o governador teve que acomodar o deputado Kaio Maniçoba (PMDB) na Secretaria de Habitação a fim de abrir vaga na Câmara Federal para o ex-presidente do Sport, que é o 1º suplente da coligação PHS/PSL. Ainda assim, não levou o único prefeito que o PSL tem em PE: Raimundo Pimentel (Araripina).

Anistia > O advogado Antônio Campos solicitou ao STF uma reinterpretação da Lei de Anistia, para excluir do seu alcance os “torturadores”, porque no reexame de 2010, solicitado pela OAB, a composição era diferente da atual. Não estão mais lá César Peluso, Eros Grau, Ellen Gracie, Joaquim Barbosa e Carlos Ayres Britto. Este último votou a favor da revisão.

Cordel >
Em sua recente passagem por Mossoró (RN), incluída no seu roteiro de visitas ao Nordeste, o ex-presidente Lula se encontrou com o poeta Crispiniano Neto, que escreveu um folheto de cordel em sua homenagem.

Violência >
Assustado com o aumento da violência em seu município, o prefeito de Gravatá, Joaquim Neto (PSDB) esteve ontem na SDS com o secretário Antônio de Pádua. Pediu mais viaturas e mais policiais e saiu com a promessa de que será atendido.

Suplência > Ventilou-se ontem na Assembleia Legislativa que o ex-deputado Manoel Ferreira, pai do prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR), será convidado para suplente de senador na chapa majoritárias das Oposições em 2018.

Caravana > Celso Amorim, que foi ministro das Relações Exteriores nos governos petistas, acompanhou a visita do ex-presidente Lula à Paraíba junto com o deputado Vicentinho (PT-SP). Mas não virá amanhã a Pernambuco para o ato de que o ex-presidente participará em Ouricuri.

Veja também

Comissão de Justiça da Alepe aprova obrigatoriedade de vacinação para servidores estaduais
Coronavírus

Comissão da Alepe aprova obrigatoriedade de vacinação para servidores estaduais

Começa julgamento de consultoria alemã por queda da barragem de Brumadinho
Brumadinho

Começa julgamento de consultoria alemã por queda da barragem de Brumadinho