Érica é chance de medalha para o Brasil na marcha atlética

Pernambucana é dona da melhor marca do ano entre as atletas do continente e é vice-líder do ranking mundial

Érica Sena, competidora da marcha atléticaÉrica Sena, competidora da marcha atlética - Foto: CBAt

Atual segunda colocada no ranking mundial dos 20km da marcha atlética e dona do melhor tempo da prova neste ano entre as atletas das Américas (1h27min38s), a pernambucana Érica de Sena é uma das atrações do Brasil, neste domingo, nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Ela compete a partir das 10h, e garante que o bom retrospecto do ano não é motivo de pressão.

Atleta experiente, Erica, que está com 34 anos, tem a chance de novamente fazer história no esporte brasileiro. Em 2015, no Pan de Toronto, no Canadá, ela foi segunda colocada. E a sua prata foi a primeira medalha do País na modalidade. Agora, ela aparece entre as candidatas ao título pan-americano.

“Minha marca é a melhor de todas as participantes, mas não me sinto pressionada por isso. Sei que tenho de fazer o que faço nos treinos. Vai dar tudo certo”, disse a marchadora. “Não quero pensar em tempo. Essa é uma prova que todos querem ganhar, sei que será forte e que vamos fazer uma marca forte pelo nível das minhas adversárias”, completou Érica, que mora e treina em Cuenca, no Equador, país natal do marido e treinador Andrés Choco.

Érica chegou ao Pan com um dos destaques da delegação do atletismo nacional. E não é à toa, uma vez que a pernambucana foi a primeira brasileira do atletismo a fazer o índice para os Jogos Olímpicos de Tóquio – o feito aconteceu em abril último, em uma etapa do México do Circuito Mundial da modalidade.

Suas principais adversárias na briga pelo título em Lima são a colombiana Sandra Lorena e a peruana Kimberly Garcia, sétima e 15ª colocadas no ranking mundial, respectivamente.

A versão masculina da prova acontece na sequência, a partir das 12h30, com a presença do brasiliense Caio Bonfim, que, assim como Érica, obteve resultados expressivos nos últimos anos.

Veja também

Carrefour terá que punir funcionário que praticar racismo, decide Justiça
Racismo

Carrefour terá que punir funcionário que praticar racismo, decide Justiça

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS
HIV

Novos casos de HIV superaram 20% na América Latina na última década, diz OPAS