Escavação em Olinda revela achado histórico

Peças do século 18 foram encontradas durante escavação para implantação de nova tubulações de água na Cidade Alta, em Olinda

Entre as peças estão louças, azulejos e  moedas que foram  encontrados durante  uma intervenção  da CompesaEntre as peças estão louças, azulejos e moedas que foram encontrados durante uma intervenção da Compesa - Foto: Brenda Alcântara

Peças históricas, possivelmente do século 18, foram encontradas durante escavação da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), no Sítio Histórico de Olinda. Entre os itens estão louças, azulejos e moedas. A descoberta aconteceu durante os trabalhos para a implantação das novas tubulações na Cidade Alta, na avenida da Saudade, no Guadalupe. As peças serão catalogadas, passarão por um processo de identificação histórica e ficarão sob guarda da Secretaria de Patrimônio, Turismo e Cultura de Olinda (Sepac).

De acordo com a arqueóloga responsável pelos materiais encontrados na escavação, Gleyce Lopes, os itens servem para ajudar a manter a identidade local e diminuir a chance de perda das informações da sociedade que já habitava no município. “Os achados arqueológicos são essenciais para compor os dados de interpretação do contexto histórico. Diante de um fato recente, a descoberta desses objetos tem grande importância na busca da construção de uma identidade social”, explicou a especialista.

Ainda segundo a especialista, as antiguidades aparentam ser do século 18. Todos os materiais coletados durante a escavação da obra do Olinda+Água no Sítio Histórico de Olinda pertencem à União - conforme disposto legal Art.175 da Constituição Federal. Os primeiros artefatos foram encontrados no dia 27 de julho e indicavam que ali havia uma coleção de louça. O indício fez com o que a Compesa chamasse uma equipe técnica especializada em arqueologia. Por se tratar de uma alteração em um centro histórico, foi realizado um estudo preventivo com a equipe responsável pela escavação. Desde o começo das obras, a Companhia conta com o acompanhamento técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Intitulada Olinda+Água, a obra prevê a implantação de 25 quilômetros de rede distribuição de água nos bairros do Monte, Guadalupe, Bonsucesso, Amaro Branco, Carmo, Varadouro, Santa Tereza e parte dos Bultrins, para continuar melhorando a distribuição de água para os olindenses. A primeira etapa do projeto já foi concluída, beneficiando 150 mil pessoas. No momento, os serviços de implantação de rede de abastecimento de água da terceira etapa são implantados em ruas dos bairros dos Bultrins e do Guadalupe, e a previsão é que, a partir do dia 11 de setembro, iniciam nas principais vias: a Rua Prudente de Moraes e Avenida Liberdade, no Carmo, a Rua Bispo Coutinho, no Alto da Sé, e a Rua do Amparo.

A terceira etapa ainda prevê a instalação de válvulas e macromedidores, alguns dos dispositivos que promovem a setorização da rede de abastecimento de água e tornam o controle operacional do sistema mais eficiente, melhorando as pressões nas tubulações e a redução de perdas.

Veja também

Secretário de Saúde de Pernambuco critica entraves diplomáticos que afetam vacinação no Brasil
Covid-19

Longo critica entraves diplomáticos à vacina: "Não podem colocar em xeque a saúde dos brasileiros"

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões
Economia

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 22 milhões