Escola de jovem assassinada decreta luto nesta quarta no Recife

Familiares da vítima ainda estão no Instituto de Medicina Legal aguardando a liberação do corpo

Sentada na cadeira do rodas, sentada numa cadeira de rodas, a mãe da adolescente assassinada. Sentada na cadeira do rodas, sentada numa cadeira de rodas, a mãe da adolescente assassinada.  - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Está marcado para o início da tarde desta quarta-feira (26), às 14h30, no cemitério de Santo Amaro, na região central do Recife, o enterro da adolescente de 14 anos que foi torturada e assassinada por duas adolescentes de 15 anos na Praia de Maria Farinha, em Paulista, Região Metropolitana do Recife (RMR). 

A Escola Municipal Reitor João Alfredo, na Ilha do Leite, onde a vítima estudava, também na região central da capital pernambucana, suspendeu as aulas e decretou luto de um dia nesta quarta-feira (26), pela morte da jovem. Um tio da garota esteve na unidade de ensino nesta manhã e contou que a família está abalada. Ele disse que a sobrinha sempre ia à escola acompanhada da mãe devido às ameaças que vinha sofrendo da ex-namorada, uma das responsáveis pelo crime.

Leia também:
Mulher é morta e tem corpo jogado na beira de rio em Olinda
PRF registra sete mortes nas rodovias de Pernambuco durante o São João

"Minha sobrinha era uma menina tranquila. Estava morando com a mãe dela justamente porque não queria mais continuar o relacionamento com a outra menina e vinha sendo ameaçada", relatou o parente.

O crime, cometido na manhã desta terça (25), à beira da praia de Maria Farinha, foi gravado e viralizado nas redes sociais pelas duas suspeitas de cometerem o ato. Ambas foram apreendidas pela Polícia Civil e encaminhadas à Unidade de Atendimento Inicial (Uniai) da Funase, onde seguem à disposição da Justiça.

Veja também

Igreja, restaurantes e lojas são autuados em fiscalizações do Procon-PE
Pandemia

Igreja, restaurantes e lojas são autuados em fiscalizações do Procon-PE

Chuvas deixam dois mortos e mais de 185.500 afetados na Guatemala
Desastre

Chuvas deixam dois mortos e mais de 185.500 afetados na Guatemala